10:47 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    17210
    Nos siga no

    O presidente dos EUA Barack Obama declarou que o fluxo de combatentes estrangeiros para a Síria diminuiu significativamente nas últimas semanas, e que o grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico) passou a enfrentar sérios problemas financeiros.

    “Graças aos esforços coordenados de muitos países, incluindo o contínuo trabalho da Turquia em reforçar a fronteira, parece que o fluxo de combatentes terroristas estrangeiros para a Síria está finalmente diminuindo. Em função disso, hoje há menos combatente do Daesh lutando na Síria e no Iraque” – disse Obama.

    “O Daesh perdeu uma série de cidades-chave – mais de 40% do território no Iraque que ele um dia chegou a controlar” – destacou o presidente. Além disso, nas suas palavras, a produção de petróleo do Daesh e os lucros com o seu contrabando diminuíram significativamente graças aos bombardeios dos EUA.

    “Nós estamos destruindo depósitos onde o Daesh guarda seu dinheiro em espécie, que está, literalmente, virando fumaça. Em função disso o Daesh foi forçado a cortar os salários de seus combatentes, o que rebaixa cada vez mais a sua moral. Nós continuamos recebendo informações sobre desertores e sobre execuções daqueles que tentam desertar” – explicou Obama.

    O líder norte-americano destacou ainda que o cessar-fogo na Síria, previsto para começar em 27 de fevereiro, não influenciará em nada os esforços dos EUA na luta contra o Daesh e que o país continuará bombardeando os terroristas com todos os recursos disponíveis.

    “Continuaremos usando todos os recursos para liquidar a ameaça do Daesh em todos os lugares eles [os terroristas] estiverem” – disse Obama.

    Mais:

    Ajuda da ONU para Deir ez-Zor aterrisa em solo controlado pelo Daesh
    Terrorismo à flor da pele: minas do Daesh corroem corpos humanos
    Cerca de 50 militantes do Daesh foram eliminados no Afeganistão nas últimas 24 horas
    Europeus suspeitam Turquia de colaboração com Daesh
    Tags:
    recrutamento, crise, Daesh, Barack Obama, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar