17:51 23 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Ahmet Davutoglu, primeiro-ministro da Turquia, e Angela Merkel, chanceler da Alemanha, em Istambul (18 de outubro de 2015)

    OTAN surpresa com proposta da Turquia e da Alemanha para a crise de refugiados

    © AP Photo / Lefteris Pitarakis
    Mundo
    URL curta
    1149

    As recentes declarações dos governos turco e alemão sobre seus planos de usar a OTAN para reforçar as fronteiras costeiras da Turquia aparentemente pegaram a Aliança Atlântica de surpresa, de acordo com uma fonte oficial anônima citada pela publicação Politico, baseada nos EUA.

    "A Turquia e a Alemanha vão juntas recomendar à OTAN (…) [que a organização] se envolva sobre as consequências do fluxo de refugiados da Síria", disse o primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, em uma entrevista coletiva conjunta com a chanceler alemã Angela Merkel. "Em particular, vamos fazer um esforço conjunto para o uso efetivo de mecanismos de observação e monitoramento da OTAN na fronteira e no Mar Egeu", acrescentou o premiê turco.

    A proposta turco-alemã, aparentemente, pegou a Aliança desprevenida, segundo relata a publicação especializada em jornalismo político, citando declarações feitas por um funcionário anônimo na sede da organização em Bruxelas:

    "Perguntamo-nos qual é o projeto, e por que a OTAN?", teria dito a fonte, ressaltando que a questão dos fluxos de refugiados "não é realmente um trabalho da OTAN".

    Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, apresenta o relatório anual da OTAN durante a conferência de imprensa em Bruxelas, Bélgica, 28 de janeiro de 2016
    © AFP 2018 / EMMANUEL DUNAND
    "A OTAN não tem qualquer mandato legal nem estrutura para gerir este tipo de situação", afirma outra fonte do Politico não identificada.

    A proposta de Berlim e Ancara foi anunciada às vésperas de uma reunião dos ministros da Defesa da OTAN, que acontece nesta quarta (10) e quinta-feira (11).

    "Eu espero que o ministro turco nos forneça mais detalhes quando nos encontrarmos amanhã [hoje] e que os ministros abordem esta questão", disse o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg. "Acho que vamos levar muito a sério um pedido da Turquia e todos os nossos aliados para averiguar o que a OTAN poderia fazer para enfrentar e lidar com a crise e com todos os desafios que eles enfrentam, ou, pelo menos, a Turquia", acrescentou.

    O embaixador dos EUA na OTAN, Douglas Lute, também não se mostrou muito acolhedor sobre a ideia de envolver a Aliança no problema dos refugiados, lembrando que a resposta à crise constitui principalmente um trabalho da União Europeia.

    Mais:

    Líder da Igreja Católica na Alemanha defende redução do número de refugiados
    Merkel espera que refugiados voltem para casa após fim de conflitos
    OTAN irá ampliar capacidades militares no mar Negro
    Tags:
    crise de imigrantes, fluxo de refugiados, refugiados, OTAN, Jens Stoltenberg, Angela Merkel, Ahmet Davutoglu, Síria, Mar Egeu, Turquia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik