08:27 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Navio da Marinha turca durante a parada militar no estreito de Bósforo em comemoração ao Dia de Vitória em Istambul, Turquia

    Turquia e Ucrânia aliam-se para manter ‘equilíbrio de poder’

    © AFP 2017/
    Mundo
    URL curta
    312944433

    A Ucrânia e a Turquia discutiram assuntos de cooperação na área de segurança comum e os desafios que os dois países estão enfrentando.

    O secretário de Defesa Nacional e do Conselho de Defesa da Ucrânia, Aleksander Turchinov, encontrou-se com o seu homólogo turco, Seyfullah Hacimuftuoglu, para discutir os esforços conjuntos na luta contra terrorismo global e desenvolver a cooperação militar e técnica, informou o serviço de imprensa do conselho.

    A reunião teve lugar na quinta-feira (21) durante a visita de trabalho de Turchinov à Turquia.

    Segundo o comunicado do serviço de imprensa do conselho, as partes discutiram um número de assuntos de cooperação na área de segurança, bem como os desafios que os países enfrentam.

    “Além disso, discutiram juntar esforços contra o terrorismo global e os seus apoiantes, bem como crime organizado e a imigração ilegal. A cooperação entre os serviços de segurança também estava incluída na agenda”, diz-se no comunicado.

    Segundo Turchinov, Kiev e Ancara têm uma oportunidade histórica de juntar os seus recursos políticos, diplomáticos, militares, técnicos e econômicos para preservar de forma eficiente o equilíbrio de poder no Mar Negro.

    O desenvolvimento de cooperação militar é um elemento chave da parceria estratégica turco-ucraniana, acrescentou.

    Hacimuftuoglu sublinhou que a Turquia e a Ucrânia devem desempenhar o papel de líderes na criação de um sistema eficiente de segurança regional.

    “Para nós é muito importante unir as capacidades dos nossos países, as quais levarão a uma sinergia eficaz”, disse o chefe do Conselho de Segurança Nacional da Turquia.

    Tags:
    equilíbrio de poder, cooperação, Mar Negro, Ucrânia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik