02:00 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Representante oficial da chancelaria russa Maria Zakharova durante a entrevista coletiva semanal, 26 de novembro de 2015

    Chancelaria russa: Processo Minsk-3 anunciado por Kiev é uma afirmação 'analfabeta'

    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Mundo
    URL curta
    11202

    No domingo (10) o representante ucraniano, Roman Bessmertny, na comissão política do Grupo de Contato anunciou o início do processo Minsk-3, o que é visto em Moscou como uma afirmação incompetente, disse a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova.

    Oleg Barna, deputado da Rada, remove o primeiro-ministro Arseniy Yatsenyuk da tribuna, depois de lhe apresentar um buquê de rosas, durante a sessão do parlamento em Kiev, Ucrânia, 11 de dezembro de 2015
    © REUTERS / Valentyn Ogirenko
    Zahkarova explicou que "existe um pacote dos documentos adotado há um ano no decorrer da cúpula do Quarteto da Normandia em Minsk. A sua obesrvação rigorosa é uma tarefa principal para todas as partes envolvidas no processo da resolução [do conflito]".

    A representante oficial frisou que inventar novos formatos é um processo "divertido", mas não tem sentido sem cumprir os compromissos.

    "Tal tratamento voluntário e individual do conteúdo dos acordos assinados pelos presidentes de quatros países, é exatamente assim como é possível caraterizar a afirmação do representante de Kiev, somente complicam o processo da resolução", declarou a porta-voz da chancelaria russa.

    O representante ucraniano na comissão política do Grupo de Contato no domingo afirmou que, embora não houvesse documentos que formalizam o processo de Minsk-3, ele começou desde o 1º de janeiro. 

    "Do meu ponto de vista, o Minsk-3 está já lançado. Desde o 1º de janeiro começou o Minsk-3, vocês podem dizem que não há documentos. Sim, não há, mas desculpa, a fisolofia dos processos internos diz que Minsk-2 não corresponde até 50% aos problemas que enfrente a UcrÂnia e o mundo no território do Donbass", disse Bessmertny ao canal ucraniano 112 Ukraina. 

    Antes, os líderes do Quarteto da Normandia, Vladimir Putin, Pyotr Poroshenko, Angela Merkel e François Holland, acordaram em prorrogar os acordos de Minsk para 2016.

    Tags:
    Acordos de Minsk, Quarteto da Normandia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik