18:31 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Bandeiras da União Europeia próximo ao edifício da Comissão Europeia, Bruxelas

    Líderes europeus prometeram "luta intransigente" conta o terrorismo

    © AFP 2017/ EMMANUEL DUNAND
    Mundo
    URL curta
    328524

    Os líderes da União Europeia se comprometeram nesta sexta-feira com uma "luta intransigente contra o terrorismo" e com uma série de medidas para combater o problema, como o aumento nos controles imigratórios e o combate ao tráfico de armas, informou Associated Press.

    Os líderes dos 28 países integrantes da UE também se comprometeram a adotar ações rápidas para restringir mais a capacidade dos terroristas de financiar suas ações, incluindo a imposição do congelamento de ativos e outras medidas restritivas.

    O encontro em Bruxelas foi o primeiro entre os líderes da UE desde os ataques de 13 de novembro, reivindicados pelo Daesh, que mataram 130 pessoas e deixaram centenas de feridos na capital da França.

    Os ataques "apenas fortaleceram nossa determinação para continuar com nossa luta intransigente contra o terrorismo e para fazer uso completo de todas as ferramentas à nossa disposição, incluindo a coordenação próxima com parceiros cruciais, como os Estados Unidos", afirmaram as lideranças da UE em comunicado conjunto.

    Os líderes também concordaram que era crucial implementar controles sistemáticos e coordenados nas fronteiras externas do bloco, a fim de saber quem entra e sai, e prometeram revisar rapidamente as propostas da Comissão Europeia para combater a venda ilícita de armas, especialmente as armas semiautomáticas usadas por alguns dos responsáveis pelos ataques em Paris.

    Mais:

    Rússia e EUA são parceiros em resolução contra financiamento a terrorismo
    Especialista: Ocidente está se rendendo às posições de Bashar Assad contra o terrorismo
    França estuda limitar Internet para proteger-se do terrorismo
    Tags:
    terrorismo, Comissão Europeia, Daesh, Paris, Bruxelas, Europa, UE
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik