23:37 19 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados americanos na Líbia

    Tropas americanas cumprem exigência das milícias locais e deixam Líbia

    © Foto: Facebook/Força Aérea da Líbia
    Mundo
    URL curta
    14191

    Os militares das forças especiais dos EUA que chegaram à Líbia para “fortalecer relações” foram forçados a deixar o país após exigência das unidades paramilitares locais, diz a agência France-Presse citando um representante do Pentágono.

    Anteriormente na página da Força Aérea da Líbia no Facebook apareceu uma foto de homens em roupa civil com armas ligeiras. Um representante do Ministério da Defesa dos EUA confirmou que a imagem mostra mesmo soldados das forças especiais estadunidenses.

    بتاريخ 14/12/2015 وعلي تمام الساعة السادسة صباحاً هبطت طائرة عسكرية أمريكية علي متنها 20 جندي أمريكي علي مهبط قاعدة الو…

    Posted by ‎رئاسة أركان القوات الجوية Libyan Air Forces‎ on Wednesday, 16 December 2015

    Ele também disse que a presença do grupo de tropas especiais na Líbia estava concordada com as autoridades do país.

    “Os militares americanos chegaram à Líbia em 14 de dezembro para fortalecer relações e laços com os seus parceiros no exército nacional líbio. Quando eles estavam na Líbia, os representantes das unidades paramilitares locais exigiram a sua partida. Para evitar conflitos, eles deixaram o país sem incidentes”, disse o representante do Pentágono. 

    Após derrubada e assassinato durante o conflito interno de 2011, do líder da Líbia, Muammar Kadhafi, por rebeldes apoiados pelos EUA e OTAN o país vive em estado de crise aguda. No país apareceu uma duplicidade do poder: por um lado está o parlamento eleito durante eleições gerais situado em Tobruk no leste do país, por outro lado está o Congresso Geral Nacional com orientação pro-islâmica e sede em Trípoli. Ao mesmo tempo um número de áreas na Líbia não é controlado pelas autoridades centrais. Há relatos sobre presença no país de militantes do grupo terrorista Daesh (também conhecido como “Estado Islâmico”).

    Tags:
    exército, Daesh, Muammar Kadhafi, EUA, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik