19:16 28 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Petróleo do Daesh vai parar na Turquia? (24)
    9292
    Nos siga no

    Moscou poderá levantar a questão de introdução de sanções contra Ancara por razão do comércio ilegal de petróleo, divulgou o embaixador da Rússia na ONU Vitaly Churkin.

    A Rússia poderá levantar a questão sobre a introdução de sanções contra a Turquia no Conselho de Segurança da ONU no âmbito do contrabando de petróleo realizado pelo grupo terrorista Daesh, mas Moscou ainda não tomou a decisão respetiva, declarou Churkin na entrevista à agência noticiosa russa RIA Novosti:

    "Teoreticamente, claro, que é possível [introduzir sanções contra a Turquia]. Mas vivemos no mundo real. A OTAN decidiu proteger a Turquia no caso do nosso avião abatido. Outros reprovam a Turquia nos corredores, mas não fazem isso abertamente. É por isso que nós, tendo em conta a realidade, devemos prever o que pode acontecer."

    De acordo com o alto diplomata russo, a tática em relação à questão deve ser cuidadosamente ponderada.

    A razão para a possível introdução de sanções – a informação sobre o contrabando de petróleo – toca mais uma questão, a dos procedimentos de informação de outros países sobre este tipo de dados. De acordo com Churkin, os EUA e a Turquia deveriam ter notificado o Conselho de Segurança da ONU sobre o contrabando de petróleo pelos terroristas do Daesh, mas não o fizeram.

    "Perguntei a eles [generais do Pentágono] uma questão muito simples: vocês já voam naquela região por um ano, e os nossos – por dois meses e já apresentámos muitas fotos que mostram que o petróleo passa pela fronteira turca. Não sabia disso? Eles devem ter sabido, e se sabiam, deveriam informar o Conselho de Segurança," disse.

    De acordo com a Resolução 2199 adotada em fevereiro por iniciativa russa, os países devem fornecer informações sobre as situações deste tipo, destacou Churkin. 

    Para resolver a questão do contrabando de petróleo, Washington e Moscou estão trabalhando na criação de uma nova resolução do Conselho de Segurança que deve ser adotada em 17 de dezembro, disse o representante russo. A nova resolução obrigará o secretário-geral da ONU a apresentar relatórios ao Conselho sobre o contrabando de petróleo por terroristas.

    Mais cedo em dezembro o Ministério da Defesa da Rússia apresentou imagens de satélite que mostram um comboio do Daesh transportando para países terceiros, inclusive para a Turquia, até 200 mil barris de petróleo, usando pelo menos 1.722 caminhões-cisterna.

    Após a revelação russa, os funcionários do governo dos EUA confirmaram a existência de comércio ilegal de petróleo entre o Daesh e empresários turcos, mas declararam que o volume do petróleo contrabandeado dos territórios controlados pelo grupo terrorista é economicamente insignificante.

    Tema:
    Petróleo do Daesh vai parar na Turquia? (24)
    Tags:
    petróleo, terrorismo, Daesh, ONU, Vitaly Churkin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar