15:27 20 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Wolfgang Schuessel, ex-chanceler da Áustria.

    Ex-chanceler da Áustria culpa a Turquia por queda do caça russo na Síria

    © AFP 2018 / John McDougall
    Mundo
    URL curta
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    2220

    O ex-chanceler austríaco, Wolfgang Schuessel, em entrevista à RT, classificou o ataque da Turquia para abater o caça russo Su-24 na Síria, na semana passada, como um “incidente pesadelo”. Ele culpou as autoridades turcas pelo que disse ser uma reação inadequada.

    “Eu acho que a resposta da Turquia, mesmo se houvesse alguns incidentes, vamos dizer, por 2 a 5 segundos atravessando a fronteira, não foi apropriada”, afirmou Schuessel.

    Sobre desarmar as tensões entre Moscou e Ancara, ele destacou que são necessárias negociações russo-turcas diretas para resolver o problema. Além disso, Schuessel pediu aos líderes internacionais para agirem de forma mais agressiva para combater o Estado Islâmico, ao invés de segregarem os combatentes curdos.

    “A Turquia pode fazer muito mais para combater o Estado Islâmico… A Peshmerga, como você sabe, é um forte aliado contra o Estado Islâmico, e a Turquia também poderia fazer mais para parar o influxo de recrutas estrangeiros em rota para a Síria”, disse ele.

    Um caça russo Su-24 foi abatido por um lutador F-16 da Força Aérea turca na Síria em 24 de novembro. O piloto do avião de guerra da Rússia foi morto por militantes terroristas depois que conseguiu se ejetar da aeronave, enquanto o copiloto conseguiu sobreviver.

    Ancara acusou o Su-24 de violar o espaço aéreo da Turquia, alegação que o Ministério da Defesa russo rejeita com veemência. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, chamou o incidente de uma “facada nas costas pelos cúmplices de terroristas”.

    Tema:
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    Tags:
    cúmplice, ataque, queda, curdos, negociações, responsabilidade, culpa, terrorismo, F-16, Su-24, Força Aérea, Ministério da Defesa, Peshmerga, Estado Islâmico, Wolfgang Schuessel, Vladimir Putin, Moscou, Ancara, Rússia, Síria, Áustria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik