05:45 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    2321
    Nos siga no

    O chefe da equipe de advocacia do WikiLeaks, Baltasar Garzón, afirmou em entrevista à Sputnik que considera indispensável que sejam investigados os fluxos financeiros e de armamentos para o Estado Islâmico, o que, segundo ele, não foi feito até o momento.

    De acordo com o "super-juiz" espanhol, conhecido mundialmente por decretar a prisão do ditador chileno Augusto Pinochet e por tentar investigar autoridades norte-americanas por seu envolvimento nos regimes de exceção da América Latina, a luta contra o terrorismo focada apenas na abordagem militar não será suficiente enquanto não forem cortados os envios de armas e a assistência financeira para os militantes.

    Para Garzón, a comunidade internacional precisa urgentemente mudar sua atual estratégia para uma verdadeira coordenação, envolvendo um grande número de países, interessada em combater o extremismo de maneira mais profunda, para além da via militar. 

    No último domingo, o presidente da Síria, Bashar Assad, disse que alguns países hostis ao seu governo haviam intensificado a cooperação com grupos extremistas, incluindo o Estado Islâmico, por conta do sucesso alcançado pelo exército sírio em sua campanha antiterrorista. 

    Mais:

    Turquia apoiou o Estado Islâmico em ataques contra curdos no Iraque e na Síria
    Rússia diz que grupos terroristas na Síria continuam recebendo apoio estrangeiro
    Tags:
    EUA, América Latina, Espanha, Síria, Baltasar Garzón, Augusto Pinochet, Estado Islâmico, WikiLeaks, terrorismo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar