17:10 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    4114
    Nos siga no

    A Hungria está aberta a dialogar com a União Europeia sobre a parceria firmada com a Rússia para a expansão de sua central nuclear em Paks, localizada ao sul de Budapeste e responsável pelo fornecimento de mais de um terço de toda a eletricidade consumida no país.

    Há duas semanas, o comissário húngaro encarregado do projeto, Attila Aszodi, disse que os trabalhos de construção dos dois novos reatores VVER com capacidade para 1.200 MW começariam em 2018. A Rússia autorizou um empréstimo de 11 bilhões de dólares no ano passado para o projeto, o qual Budapeste prometeu pagar nas duas décadas seguintes à inauguração dos novos reatores, programada para 2023. 

    Nesta segunda-feira, Aszodi disse em uma conferência energética que nenhuma ajuda estatal seria necessária para a expansão da usina. 

    No último dia 19, a Comissão Europeia abriu uma investigação para analisar a legalidade do financiamento da central de Paks, a fim de determinar se o investimento da Hungria estaria de acordo com as regras da UE sobre condições de mercado e auxílios estatais. 

    Segundo o porta-voz do governo húngaro, Zoltan Kovacs, as questões relacionadas ao contrato firmado para a construção dos reatores foram devidamente tratadas junto à Comunidade Europeia de Energia Atômica, a Eurotom. 

    Mais:

    Vladimir Putin inicia visita oficial à Hungria
    Rússia recomeça cooperação nuclear com Irã
    Tags:
    Eurotom, Attila Aszodi, Zoltan Kovacs, Paks, Budapeste, Europa, Rússia, Hungria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar