19:18 16 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia

    'Turquia entrou na guerra ao lado do Estado Islâmico', diz legislador italiano

    © REUTERS / Umit Bektas
    Mundo
    URL curta
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    1571336

    A Turquia entrou na guerra ao lado do Estado Islâmico, disse nesta terça-feira o vice-presidente do Senado italiano, Roberto Calderoli, após um caça russo Su-24 ser derrubado pela Força Aérea turca.

    Ancara alega que os caças F-16 turcos derrubaram a aeronave russa porque esta havia violado o espaço aéreo turco. O presidente russo, Vladimir Putin, contudo, afirmou que o avião estava a um quilômetro da Turquia quando foi derrubado.

    "A Turquia entrou oficialmente na guerra do lado do Estado islâmico ao derrubar, por ordem de (Recep Tayyip, presidente do país) Erdogan, uma aeronave russa que participou em operações contra terroristas do Estado Islâmico na Síria", disse o legislador em sua página no Facebook.

    Segundo Calderoli, a Turquia é um "cavalo de Tróia" que, com a ajuda do fundamentalismo islâmico, gostaria de dar um golpe no Ocidente.

    "Por que a Turquia ainda está na OTAN depois do que aconteceu? O que mais pode se esperar da ONU além de tomar um posição forte contra o Estado Islâmico e seus aliados?", indagou Calderoli.

    O político também criticou a postura oficial de Roma.

    "O governo (de Matteo Renzi) está do lado errado com (Angela, chanceler alemã) Merkel, em vez de tomar o lado de Putin nesta guerra para defender nossos valores, nossa liberdade e nossas tradições."

    Tema:
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)

    Mais:

    Milos Zeman: há suspeitas de que Turquia coopera informalmente com Estado Islâmico
    Derrubada de avião russo provoca queda nas ações europeias
    Rússia apresenta protesto oficial contra a Turquia
    'Rússia deve suspender contatos oficiais com a Turquia'
    Qual será a reação da OTAN ao abate do avião russo?
    Tags:
    terrorismo, caça, abatido, Su-24, ONU, OTAN, Estado Islâmico, Angela Merkel, Matteo Renzi, Vladimir Putin, Recep Tayyip Erdogan, Roberto Calderoli, Itália, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar