19:19 26 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    1191
    Nos siga no

    O professor Sukh Deo Muni, especialista em política internacional do Instituto de Estudos e Análises de Defesa de Nova Délhi, afirmou em entrevista à agência iraniana IRNA que os EUA têm padrões duplos em sua luta contra o Estado Islâmico, o que ajudaria no crescimento do terrorismo em todo o mundo.

    “É claro que os EUA têm padrões duplos. Eles patrocinaram o Talibã, no Afeganistão, e o Daesh (Estado Islâmico), na Síria. Mesmo agora, não são capazes de definir prioridades na Síria”, afirmou o especialista.

    Sobre a acusação do wahhabismo de espalhar o terrorismo pelo mundo, o analista frisou que este movimento ultraconservador islâmico não se restringe mais à Arábia Saudita, embora frise que o país ainda é uma de suas principais bases.

    Sukh Deo Muni destacou a importância do papel do Irã e da Índia na região Afeganistão–Paquistão. Segundo ele, os países são parceiros estratégicos para garantir a estabilidade e precisam trabalhar juntos na área. “Também devem explorar formas de conter a propagação do Daesh. Estes esforços não podem se limitar a meios militares.”

    “O terrorismo internacional é um desafio complexo. Ele exige uma abordagem multidimensional. Tanto a Índia quanto o Irã devem trabalhar em conjunto a nível internacional na ONU, como também a nível regional, para isolar esses Estados, agências e forças que patrocinam e apoiam o terrorismo. O Irã e a Índia também devem compartilhar inteligência e apoiar uns aos outros em seus esforços individuais na luta contra o terrorismo a nível nacional, bem como em frentes internacionais”, disse Sukh Deo Muni.

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    Tags:
    estabilidade, parceria, compartilhar, inteligência, luta, propagação, terrorismo, padrões duplos, wahhabismo, Talibã, Daesh, Nações Unidas, ONU, Estado Islâmico, Sukh Deo Muni, Arábia Saudita, EUA, Paquistão, Afeganistão, Síria, Irã, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar