11:55 19 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Caça de quinta geração russa Su-35

    Especialista: Rússia e China obtêm vantagens com acordo sobre caças Su-35

    © AP Photo / Ivan Sekretarev
    Mundo
    URL curta
    11331

    Depois de vários anos de negociações, a Rússia e a China finalmente assinaram um contrato de fornecimento de 24 caças Su-35 à China no valor de mais de 2 bilhões de dólares. Segundo informações divulgadas pela mídia russa, o custo de cada aeronave supera a marca 83 milhões de dólares.

    Depois de vários anos de negociações, a Rússia e a China finalmente  assinaram um contrato de fornecimento de 24 caças Su-35 à China no valor de mais de 2 bilhões de dólares. Segundo informações divulgadas pela mídia russa, o custo de cada aeronave supera a marca 83 milhões de dólares.

    Ao falar com a agência Sputnik sobre a importância desta transação para os dois países, o especialista do Centro de Análise de Estratégias e Tecnologias da Rússia, Vasily Kashin, observou que a primeira vez que a China mostrou interesse na aeronave foi em 2008 e solicitou oficialmente o início das negociações em 2011. Segundo ele, as negociações demoraram tanto tempo par razoes militares, políticas e técnicas.

    “Em contraste com as transações da década de 1990, a China agora não está tentando fechar urgentemente os buracos dos equipamentos técnicos de suas forças. As necessidades básicas do exército chinês agora são cumpridas em um nível aceitável. Portanto, o lado chinês teve a oportunidade de negociar em um contexto mais tranquilo, assegurando com a Rússia cláusulas contratuais mais favoráveis”, afirmou Kashin. 

    O especialista destaca que em 2009, no período após a parada militar em comemoração aos 60 anos da República Popular da China, houve uma euforia na mídia chinesa sobre o sucesso do país na área da indústria da defesa. Assim, naquele contexto, os rumores sobre a intenção de comprar os caças Su-35 russos causaram uma reação bastante negativa no público chinês. Muitos acreditavam que a retomada das compras de aeronaves prontas da Rússia seria inadequada e incoerente com o status da China grande potência militar e industrial. Tudo isso criou um cenário difícil para as negociações.

    Em última análise, Kashin diz que o Su-35 será uma adição útil para a força aérea chinesa, e o efeito de suas compras excedem em muito os custos da transação. “Embora a China esteja experimentando atualmente dois tipos de caças stealth, J-20 e J-31, num futuro próximo, a principal força de ataque da Força Aérea chinesa e da aviação naval serão os caças pesados baseados na plataforma do Su-27 e as suas várias variáveis”, afirma. 

    Ele destacou também que é importante para a China encontrar formas de melhorar ainda mais seus caças, e o Su-35, de acordo com o especialista, representa o melhor desenvolvimento possível da família. “A utilização destes aviões permitirá que os chineses apliquem algumas particularidades da construção em suas novas aeronaves, mas muitas outras coisas que não podem ser copiadas dentro de um prazo razoável como motores e sistemas eletrônicos, por exemplo, a China pode receber na Rússia através de compras de componentes ou através de uma produção conjunta”, diz Kashin. 

    Já para a Rússia, o fornecimento das 24 aeronaves para a China também representa um bom negócio. Com a recente desvalorização do rublo, que aconteceu no final de 2014, as exportações tornam-se muito mais rentáveis do que antes. Em segundo lugar, a venda de aeronaves para um país tão influente como a China contribuir para a sua promoção da indústria de defesa da Rússia para outros mercados. 


    Mais:

    Rand Corp: EUA terão que suar para manter superioridade aérea perto da China continental
    Rússia assinou acordo de U$2 bi para fornecer aeronaves Su-35 para China
    Pequim: Washington não deve se meter em disputa no mar do Sul da China
    Não obstante esforços dos EUA, China tem computador mais rápido do mundo
    Hidroaviões russos serão fabricados na China por franquia
    Tags:
    exportação, especialista, fornecimento, caças russos, Su-27, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar