15:11 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Cidade-resort de Sharm el-Sheikh, na Península do Sinai, no Egito

    Após suspensão de voos para o Egito, Israel sonha com aumento de turistas

    © AFP 2017/ STR
    Mundo
    URL curta
    Queda do A321 russo no Egito (60)
    6677311

    Israel está contando com um aumento significativo no número de visitantes russos após a Rússia anunciar a suspensão das comunicações aéreas com o Egito, onde um Airbus A321 russo caiu com mais de 220 pessoas a bordo no último dia 31, sob suspeitas de ataque terrorista.

    Em entrevista à mídia russa nesta terça-feira, Neta Briskin-Peleg, representante do Ministério do Turismo de Israel, disse que, com a interrupção dos voos para os resorts egípcios, há uma boa chance de que os turistas russos voltem os seus olhos para as cidades israelenses. 

    "Havia 640 mil turistas (em Israel) antes da crise de 2013. Depois de 2013, o número de turistas caiu cerca de 25-30%. Agora, nós estamos negociando, e eu tenho muita esperança de que nós retornaremos àquele nível", declarou Peleg. 

    No dia 31 de outubro, um Airbus A321 da companhia russa Kogalymavia (Metrojet), com 224 pessoas a bordo, caiu na Península do Sinai, no Egito, pouco depois de deixar a cidade balneária egípcia de Sharm el-Sheikh em direção a São Petersburgo, na Rússia. Embora as investigações ainda estejam em andamento, teorias sobre um possível ataque terrorista vêm recebendo cada vez mais atenção. Em meio a preocupações com a segurança na região, na última sexta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, concordou com um pedido do Serviço Federal de Segurança (FSB) da Rússia para suspender as comunicações aéreas com o Egito, pelo menos até o final da investigação oficial sobre o desastre.

    Tema:
    Queda do A321 russo no Egito (60)
    Tags:
    turismo, A321, Airbus, Serviço Federal de Segurança (FSB), Metrojet, Kogalymavia, Neta Briskin-Peleg, Vladimir Putin, Península do Sinai, São Petersburgo, Sharm El-Sheikh, Egito, Rússia, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik