08:36 23 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Defesa da Rússia (214)
    1112014
    Nos siga no

    O porta-aviões americano USS Ronald Reagan enviou caças para acompanhar um avião russo de vigilância naval que voava por região a leste da Península da Coreia.

    A Sétima Flotilha da Marinha americana declarou, nesta quinta-feira, que o porta-aviões USS Ronald Reagan direcionou quatro caças após dois aviões russos Tu-142 serem avistados na região, segundo relatou o site Stars and Stripes.

    Oficiais da Marinha americana comentaram e fizeram alusão à situação no Mar da China Meridional, na qual navios americanos passaram por águas internacionais, assim como os dois aviões russos voavam por espaço aéreo internacional no momento. Aviões de reconhecimento e vigilância de EUA e União Soviética costumavam ser usados durante a Guerra Fria na intenção de comprovar a ineficácia das embarcações do outro país.

    "Somos a favor de qualquer país poder operar dentro de leis internacionais", disse a tenente Lauren Cole, porta-voz da Sétima Flotilha da Marinha americana.

    Um oficial da Marinha dos EUA disse à agência Reuters, em condição de anonimato, que um avião russo esteve a uma milha náutica (1,852 km) do porta-aviões americano e que tanto os pilotos russos como os americanos agiram de maneira profissional.

    Oficiais da Marinha americana também questionaram a segurança do voo da aeronave russas, alegando que ela desceu a uma altitude de 500 pés (152 metros) e não fez contato por rádio com o porta-aviões. 

    "Nós ainda caracterizamos isso como uma distância segura. Esse tipo de interação tem precedentes", disse o comandante William Marks, porta-voz da Marinha, à Fox News.

    A Marinha dos EUA conduzia exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul no momento do sobrevoo russo, mas não comentou se realizava voos a partir do deque do porta-aviões naquele instante.

    Tema:
    Defesa da Rússia (214)

    Mais:

    Pequim e Washington farão teleconferência sobre invasão no mar do Sul da China
    França envia fragata para mar do Sul da China
    Pequim chama invasão dos EUA no mar do Sul da China de provocação
    EUA não respeitam soberania da China planejando patrulhar mar do Sul da China
    Tags:
    voos de reconhecimento, caças, Defesa, inteligência, porta-aviões, Guerra Fria, Marinha dos EUA, Mar da China Meridional, União Soviética, Coreia do Sul, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar