09:50 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Mães chinesas levam seus filhos para passear.

    Para movimentar a economia, China permitirá segundo filho para todas as famílias

    © AFP 2019 / Frederic J. Brown
    Mundo
    URL curta
    3110

    O Partido Comunista chinês pôs fim nesta quinta-feira (29) a chamada lei do filho único, que vigorava há mais de 30 anos. A decisão foi comunicada pela agência oficial do país, Xinhua, que destacou que um novo documento permitirá aos casais moradores de áreas urbanas terem dois filhos.

    A legislação só permitia um segundo filho para famílias de zonas rurais, caso só tivessem uma menina ou se um dos membros do casal fossem filho único. A medida permitia que a China controlasse sua população, estimada atualmente em mais de 1,3 milhão de pessoas e que em 2050 deverá ter um terço de idosos.

    A decisão do Comitê Central tem o objetivo de movimentar a economia interna do país, além de rejuvenescer a população chinesa. O órgão do Partido Comunista está reunido desde segunda-feira (26) preparando o 13º Plano Quinquenal da China com orientações sobre os rumos econômicos para os próximos cinco anos.

     Sob as regras existentes no país, os casais que violaram a lei de única criança poderiam não só enfrentar a punição de perder o emprego, pagar a multa, mas as mulheres também poderiam ser obrigadas à abortar os seus bebês ou mesmo serem esterilizadas.

    Tags:
    controle de natalidade, casais, segundo filho, decisão, famílias, movimentação, fim, permissão, lei, reunião, economia, Comitê Central, Partido Comunista, Pequim, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar