20:57 09 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    5395
    Nos siga no

    O presidente dos EUA Barack Obama considera um erro vergonhoso a criação do campo de treinamento da oposição síria e o envio de mais tropas para o Oriente Médio.

    De acordo com ele, os EUA vão gastar mais um trilhão de dólares e milhares de pessoas vão morrer.

    Obama assumiu que o plano de treinar a assim chamada oposição "moderada" síria foi um fracasso.

    Mais cedo, o New York Times relatou que a administração do presidente Barack Obama decidiu encerrar o programa do Pentágono de treinamento e armamento dos combatentes da oposição síria, para o qual havia sido planejado alocar 500 milhões de dólares. A decisão foi tomada por causa do fracasso total do programa. Os militares dos EUA não conseguiram preparar uma "força terrestre que poderia resistir ao Estado Islâmico".

    "Em fim, nós percebemos que, enquanto Assad estiver no poder, é muito difícil fazer esses rapazes se concentrarem no Estado Islâmico", disse Obama.

    Assim é possível que eles (a oposição síria) ainda possam suportar o EI para derrubar Assad.

    Chefe do Pentágono Ashton Carter disse na sexta-feira que os EUA podem rever os programas de treinamento dos combatentes da oposição ao presidente Assad. A Casa Branca deixou claro que a revisão da estratégia norte-americana permitirá trabalhar com os grupos que já estão em guerra com o Estado Islâmico: trata-se de fornecimento à oposição síria de equipamento que lhes permitirá operar de forma mais eficiente, com o apoio de ataques aéreos dos EUA.

    O presidente Obama disse em uma entrevista à CBS que o aumento da presença militar dos EUA no Oriente Médio seria um "erro vergonhoso".

    "Eu digo que há certos círculos no Partido Republicano que acreditam que nós devemos enviar inúmeros soldados para o Oriente Médio, e que a única manifestação de poder é enviar centenas de milhares de soldados para manter a ordem e paz em região. E o fato de que mais soldados dos EUA morrerão, milhares e milhares ficarão feridos, vamos gastar mais de um trilhão de dólares — não é um problema para eles".

    Os Estados Unidos realizam várias operações militares no Oriente Médio. De acordo com os EUA, as ações da coalizão levaram a uma redução do território ocupado pelo EI em 30% em comparação com o que ela ocupava antes. Mas a operação militar ainda é criticada no Oriente Médio e na Europa, bem como nos EUA.

    Mais:

    Obama: EUA sabiam dos planos da Rússia de ajudar Assad
    Obama demonstra grave falta de conhecimento histórico acerca da Ucrânia
    EUA e Rússia progridem em conversa sobre operações aéreas na Síria
    Há suspeitas de EUA fornecerem armas e alimentos a extremistas
    Tags:
    oposição, terrorismo, Estado Islâmico, Bashar Assad, Barack Obama, Oriente Médio, Síria, Rússia, Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar