04:17 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Terra com a Lua ao fundo, em foto registrada pelo astronauta Scott Kelly a bordo da EEI.

    Instituto russo divulga cronograma de pesquisas na Lua, no Sol e em diversos planetas

    Reprodução Twitter / NASA / Scott Kelly
    Mundo
    URL curta
    295991

    O Instituto de Pesquisa Espacial da Rússia (IKI) divulgou um comunicado nesta quarta-feira (30) informando que participará de diversas pesquisas internacionais em Mercúrio, Marte e Lua até 2025.

    Segundo a nota, o primeiro projeto russo será realizado em conjunto com a Agência Espacial Europeia (ESA) pretende investigar Marte, sua atmosfera e superfície, bem como a busca por atividade biológica no passado e no presente. A missão, batizada de ExoMars, acontecerá em 2016 e 2018.

    Também próximo ano, um telescópio de raios-X será instalado na Estação Espacial Internacional (ISS) no âmbito do programa “Monitor de todo o céu”. Além disso, em 2017 e 2018, realizará um experimento chamado Driada a bordo da base orbital em que observará gases de efeito estufa na Terra.

    Em 2017, a agência espacial russa (Roskosmos) e a Alemanha lançarão um laboratório orbital de raios-X. No mesmo ano, sob o projeto “BepiCоlombo”, a IKI colocará um equipamento a bordo da estação europeia-japonesa para pesquisar Mercúrio.

    Já no âmbito do projeto “O Peregrino”, a IKI participará em 2019 da criação de um aparelho cósmico para pesquisar a magnetosfera externa e o vento solar. Neste mesmo ano e em 2021, os estudos da Lua preveem, respectivamente, o lançamento das naves Luna-25 e Luna 27 com dispositivos que coletarão dados da superfície do satélite natural da Terra.

    Entre 2023 e 2025, o IKI planeja investigar a magnetosfera interior da Lua no âmbito do projeto “Ressonância”. Os cientistas russos ainda têm planos de em uma década lançar um dispositivo que estudará o Sol a partir de distâncias próximas.

    A partir de 2020, o IKI participará da construção de uma estação em Vênus, assim como do dispositivo Laplace-P para investigar um satélite de Júpiter. O instituto russo também colocará, daqui a cinco anos, em um observatório orbital, equipamentos para examinar e observar exoplanetas para evitar colisões perigosas com objetos astronômicos.

    Tags:
    efeito estufa, ciência, satélite, espaço, pesquisa, exploração, missão espacial, ExoMars, Agência Espacial Russa, Roskosmos, Vênus, Rússia, Alemanha, Júpiter, Marte, Terra, Lua, Sol
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik