05:06 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos (esquerda), presidente de Cuba, Raul Castro (centro), e líder das FARC, Rodrigo Londoño Echeverri (direita)

    Governo da Colômbia e FARC anunciam acordo de paz em Havana

    © REUTERS / Alexandre Meneghini
    Mundo
    URL curta
    0 112

    O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) anunciaram na noite desta quarta-feira um acordo chave que prepara o terreno para pôr fim ao conflito bélico mais longo da América Latina.

    Em um anúncio histórico, o mandatário e os rebeldes, encabeçados pelo seu líder máximo, Rodrigo Londoño Echeverri, o Timochenko, anunciaram um acordo para reparar as vítimas de um conflito de mais de 50 anos. O plano prevê ainda a submissão a julgamento de guerrilheiros e militares que cometeram delitos de guerra.

    "Vamos conseguir o máximo de justiça para as vítimas e não haverá impunidade", disse Santos. "Com Timochenko, acordamos que no mais tardar em seis meses, deve se concluir esta negociação."

    O acordo inclui a reparação das vítimas, o castigo para os atores implicados no conflito, a criação de uma Comissão da Verdade que investigue os delitos cometidos e de uma jurisdição especial para a paz, que investigará crimes cometidos e sancionará suas responsabilidades. 

    Além disso, ficou acertado que não vai haver anistia para os autores de crimes contra a humanidade.

    O anúncio foi feito em Havana, onde representantes do governo e da guerrilha mantém negociações há quase três anos.

    Mais:

    FARC formalizam pedido para se encontrar com o Papa Francisco
    FARC: Suspensão dos bombardeios colombianos é benéfico para a paz
    Especialistas da ONU acompanharão negociações de paz entre a Colômbia e as Farc
    Tags:
    acordo de paz, FARC, Juan Manuel Santos, Timoleón Jiménez "Timochenko", Havana, Cuba, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik