15:30 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    A Universidade Federal de Extremo Oriente, onde será realizado o Fórum Econômico do Leste

    Rússia aspira a conquistar “mercados sem fim”

    © Sputnik / Vitaliy Ankov
    Mundo
    URL curta
    Fórum Econômico do Oriente em Vladivostok (27)
    6241
    Nos siga no

    O vice-presidente da consultoria Jurong Consultants Pte, Lda, sediada na Singapura, disse nesta quinta-feira que as empresas do seu país deveriam aproveitar das oportunidades de investimento que o Extremo Oriente da Rússia oferece.

    Raphael Chua fez esta declaração no Fórum Econômico do Oriente, novo evento internacional de grande escala que começou hoje na cidade de Vladivostok, que hospeda também um grande porto do oceano Pacífico.

    “Está claro, definitivamente, que eu recomendaria [às empresas da Singapura] investirem [no Extremo Oriente russo]”, disse Chua em uma entrevista coletiva.

    Destacou as áreas eletrônica, logística e agrícola – nelas, segundo ele, a cooperação entre os dois países seria a mais eficiente.

    Não é a primeira vez que a Rússia usa a cidade de Vladivostok para acolher um evento de envergadura internacional. Em 2012, a ilha de Russky (parte de Vladivostok) sediou a cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC, na sigla em inglês).

    Recentemente, a Rússia introduziu uma lei sobre Territórios de Desenvolvimento Prioritário (Territórios de Desenvolvimento Acelerado, em tradução alternativa) para dar um estímulo ao desenvolvimento no Extremo Oriente. O Fórum Econômico do Oriente, que terminará em 5 de setembro, deve se tornar uma plataforma de diálogo anual, que permitirá atrair investidores a esta parte da Rússia.

    Segundo o diretor-geral da Fundação de Desenvolvimento do Extremo Oriente e Região Transbaicálica, Aleksei Chekunkov, a região mais oriental da Rússia tem muitos mercados vizinhos que precisam ser explorados. E são mais de 30 trilhões de dólares de PIB e 30 trilhões também em ativos bancários.

    “Ou seja, aqui, direto trás o rio Amur, justamente ao sul do Extremo Oriente, temos mercados sem fim. Já aqui, nós temos uma infraestrutura bastante desenvolvida perto da fronteira, muitos recursos naturais, empreendedores fortes, que estão prontos para conquistar estes mercados”, explicou Chekunkov.

    “E, claro, fóruns como este, quando todos os participantes da interação econômica – investidores, empreendedores, governos – têm a oportunidade de reunir-se, discutir o que já foi realizado, definir os objetivos para o período futuro, e em um ano voltar a reunir-se e discutir, esta tradição, sem dúvida, tem que ter um efeito pragmático na aceleração do desenvolvimento econômico do Extremo Oriente e na aceleração da interação econômica do Extremo Oriente russo com os países da Ásia”, destacou.

    Efetivamente, o Fórum Econômico do Oriente aspira a ser um evento anual, isso já foi confirmado pelos organizadores do evento.

    Tema:
    Fórum Econômico do Oriente em Vladivostok (27)

    Mais:

    Sputnik é parceiro internacional do Fórum Econômico do Oriente
    Rússia prepara-se para hospedar Fórum Econômico do Oriente
    Brasil e Uruguai ampliam acordo automotivo
    Acordo da Ucrânia com credores é vantajoso só à primeira vista
    Tags:
    investimento, parceria, economia, Fórum Econômico do Oriente, Extremo Oriente, Vladivostok, Singapura, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar