04:43 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Imigrantes aguardam a visita do presidente alemão, Joachim Gauck, em um asilo da cidade de Berlim, em 26 de agosto de 2015

    Alemanha não quer refugiados dos Bálcãs

    © REUTERS / Stefanie Loos
    Mundo
    URL curta
    362

    O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, informou neste sábado que os cidadãos balcânicos representam cerca de 40% do total de estrangeiros que chegam à Alemanha como refugiados, mas destacou que eles devem esquecer a ideia de conseguir asilo no país, pois este dificilmente será concedido.

    "Nós estamos felizes que muitas pessoas da Sérvia, da Albânia, do Kosovo e da Bósnia e Herzegovina olham para a Europa com esperança. Muitos desses países estão em negociações para se integrar à União Europeia. Mesmo assim, um grande número de refugiados está vindo desses países", declarou Steinmeier.

    Sem dar detalhes, o ministro alemão acrescentou que as pessoas que estão pensando em deixar essa região com destino à Alemanha não devem alimentar a esperança de conseguir o asilo, e aquelas que já estiverem a caminho do país devem voltar para sua terra natal. 

    De acordo com o Escritório Federal de Imigração, a Alemanha recebeu aproximadamente 200 mil pedidos de asilo apenas em 2015. Desse total, quase 95 mil foram de cidadãos da Península Balcânica, grupo que, segundo o porta-voz do governo, Steffen Seibert, possui índice de rejeição de 95% nesses casos. 

     

    Mais:

    Confronto entre polícia e refugiados deixa 17 feridos na Alemanha
    Alemanha poderá receber até 750 mil refugiados em 2015
    Tags:
    refugiados, imigração, União Europeia, Steffen Seibert, Frank-Walter Steinmeier, Bálcãs, Bósnia, Kosovo, Albânia, Sérvia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik