06:02 19 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Yuan chinês

    Ministro indiano: a economia indiana sobreviverá à depreciação do yuan

    © Sputnik / Aleksadr Demyanchuk
    Mundo
    URL curta
    0 121

    As perturbações por que passa a economia chinesa afetaram os mercados de ações indianos.

    Na segunda-feira (24) as bolsas indianas registravam uma queda significativa. No início da semana, o índice da Bolsa de Valores de Bombaim BSE SENSEX atingiu 1624.51, o mais baixo desde 21 de janeiro de 2008 e ocupa o quarto lugar na lista nas quedas mais graves na história.

    Entretanto, segundo o ministro das Finanças, Arun Jaitley, o país pode superar esta situação no curto prazo:

    “A estabilidade voltará aos mercados de ações indianos. A nossa estratégia neste campo é absolutamente transparente. Fazemos todo o possível para fortalecer a economia. Apesar da situação global, a economia indiana está no grupo dos países que se desenvolvem a ritmos mais rápidos. Estamos satisfeitos por nossos esforços não serem em vão. Depois deste período de transição passar, todas as economias globais, especialmente a indiana, vão estabilizar”.

    O câmbio da rupia indiana em relação ao dólar também baixou significativamente nos últimos dois anos. Neste momento, é de 66.68 rupias por um dólar. Entretanto, segundo Raghuram Rajan, chefe do Banco de Reserva indiano, não há riscos para a economia por causa da cotação da moeda nacional:

    “Queria destacar que temos uma reserva de 380 bilhões de dólares. No caso de flutuação séria do câmbio, podemos sempre a usar. Em geral, a economia indiana está em melhor condição do que muitas outras economias do mundo”.

    Os índices nos mercados de ações globais foram afetados por causa da baixa do crescimento econômico na China e da queda recorde do preço do petróleo.

    Mais:

    Banco da China entra no “grupo do ouro”
    Dólar volta a fechar no maior nível em 12 anos
    Tags:
    bolsa de valores, mercado acionário, sistema financeiro, moeda, finanças, Índia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar