21:43 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro da Rússia Dmitry Medvedev

    Premiê russo anuncia alargamento da plataforma continental do país

    © Sputnik / Dmitriy Astakhov
    Mundo
    URL curta
    35473

    Hoje o premiê russo Dmitry Medvedev visita o Fórum Educacional de Jovens Iturup, na ilha homônima russa no arquipélago das ilhas Curilas (Extremo Oriente).

    O primeiro-ministro russo deu uma boa notícia aos jovens reunidos:

    "Quero lhes dizer que eu assinei a resolução que estabelece a fronteira russa na plataforma continental no mar de Okhotsk… Isto significa que podemos trabalhar na plataforma e é lá que há grandes depósitos de matérias-primas, grandes fontes de energia," disse Medvedev perante participantes.

    Desta forma, o território da plataforma continental russa passa a ter 50 mil km quadrados adicionais:

    O premiê russo sublinhou que o documento foi adotado após consultas com a Comissão de Limites da Plataforma Continental e está ajustado com vizinhos da Rússia, incluindo o Japão.

    As Ilhas Curilas, localizadas no Mar de Okhotsk, há muito tempo são tema de disputa entre a Rússia e o Japão. O Japão alega o direito às quatro ilhas do arquipélago — Iturup, Kunashir, Shikotan e Khabomai — baseando-se no Tratado Bilateral de Comércio e Fronteiras que assinou com a Rússia em 1855.

    Na véspera da visita do premiê russo, oficiais japoneses disseram que a visita de Dmitry Medvedev era "extremamente lamentável" e "fere os sentimentos’"dos japoneses. Além disso, o governo do Japão decidiu adiar a visita do chanceler japonês à Rússia.

    "As ações de Medvedev são inaceitáveis. Não estamos em condições em que se pode realizar um diálogo comedido," citou as palavras do oficial japonês a agência Kiodo.

    Para além isso, hoje o chanceler japonês Fumio Kishida anunciou um protesto formal ao embaixador russo em Tóquio.

    Moscou, por sua vez, sustenta que, após a Segunda Guerra Mundial, esses territórios passaram a pertencer à União Soviética por conta de vários acordos internacionais. Tóquio condicionou a assinatura do tratado de paz com Moscou à devolução dessas ilhas, mas a Rússia assumiu a soberania dos territórios como sucessora legítima da União Soviética e se nega a revisar a questão.

    Hoje durante a entrevista coletiva, o premiê russo disse que a Rússia pretende ter relações de amizade com o Japão e que estas não devem depender da questão das ilhas Curilas:

    “A nossa posição é simples: queremos ser amigos do Japão, o Japão é o nosso vizinho… Isto não deve estar ligado às ilhas Curilas, que constituem uma parte da Federação da Rússia, estão incluídas na região de Sacalina. Por isso, nós visitamos e vamos visitar as Curilas”.

    Mais:

    Opinião: As relações desiguais entre Japão e EUA
    "Aberto a todas as propostas": Rússia favorece investimentos nas Ilhas Curilas
    Tags:
    visita de trabalho, relações bilaterais, visita, Fumio Kishida, Dmitry Medvedev, Extremo Oriente, Curilas, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik