04:46 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Porta-helicópteros Mistral

    Com Mistral sem sair do porto, França enfrenta maiores despesas

    © Sputnik/ Grigoriy Sisoev
    Mundo
    URL curta
    91775342

    O reequipamento de dois porta-helicópteros da classe Mistral que a França não conseguiu entregar à Rússia vai ser um processo muito caro, disse o jornal francês Les Echos.

    Na quarta-feira, foi relatado que o presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo francês, François Hollande, decidiram rescindir o contrato sobre a construção e entrega dos dois Mistrais. Embora o preço de reembolso total ainda não foi divulgado, o ministro da Defesa francês Jean-Yves Le Drian disse que a França já tinha pré-pago nada menos que a 1,2 bilhões de euros (1,32 bilhões de dólares) para um banco russo.

    Quando a França vai pagar o montante total para a Rússia e pagará algumas multas extras para a rescisão do contrato, a França terá que substituir equipamentos e eletrônica dos navios, desmantelar uma série de coisas, alterar a plataforma de aquecimento, um sistema de comunicação, interface de hardware e toda a documentação, que é toda escrita em cirílico, como os Mistrais foram construídos para a Marinha russa.

    França tem que começar rapidamente o reequipamento dos Mistrais e tentar vendê-los a outros compradores. DCNS, a empresa que construiu os Mistrais, está ansioso para se livrar dos navios, como eles estão perdendo entre pelo menos 1 milhão até 5 milhões de euros por mês para os serviços de manutenção, enquanto os navios estão estacionados em Saint-Nazaire, relata o jornal francês. 

    Certos políticos franceses estão furiosos com a situação atual, uma vez que a França não só perdeu a sua reputação, mas tem que pagar extra um ou dois bilhões de euros dos bolsos dos contribuintes para o reequipamento dos dois Mistrais.

    O presidente francês François Hollande disse que "não haverá penalidades para a França por causa da quebra do contrato".

    "Falei várias vezes com o presidente Vladimir Putin e nós temos alcançado um bom acordo", disse Hollande após a cerimônia de abertura da segunda via do canal de Suez, no Egito.

    "Moscou será reembolsada com cerca de 1,2 bilhões de euros", disse ele.

    Parceiros ocidentais da França dizem que a entrega de navios para a Rússia prejudicaria seus esforços para isolar Moscou devido a sua suposta participação no conflito ucraniano. Moscou tem repetidamente negado isso e pediu fatos que nunca foram prestados.

    Em junho de 2014, o presidente dos EUA, Barack Obama forçou Paris para "fazer uma pausa" no negócio, assinado em 2011.  

    Tags:
    porta-helicópteros, Mistral, François Hollande, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik