20:36 23 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Saadi Khaddafi, filho do ex-líder líbio Muammar Khaddafi.

    Vídeo mostra filho de Muammar Khaddafi sendo torturado

    Reprodução / YouTube
    Mundo
    URL curta
    150205

    Um vídeo divulgado na internet motivou a abertura de uma investigação da Procuradoria de Trípoli. As cenas mostram Saadi Khaddafi, filho do ex-líder da Líbia, Muammar Khaddafi, sendo torturado na prisão. Na semana passada, seu irmão, Saif al-Islam, foi condenado à morte pela justiça líbia.

    No vídeo Saadi, está em uma sala com os olhos vendados sentado. Ele se apavora ao ouvir gritos de outros prisioneiros sendo torturados. O próximo foi o filho do ex-líder líbrio. Os algozes amarram seus pés para o alto em uma estrutura e a sessão de violência começa.

    A Procuradoria de Trípoli exigiu a identificação dos torturadores e uma resposta judicial adequada. Da mesma forma, o porta-voz da missão da ONU na Líbia, Samir Ghattas, afirmou que informará às Nações Unidas sobre o vídeo e criticou duramente suas imagens.

    Saadi Khaddafi fugiu após a Primavera Árabe no país, em 2011, quando uma coalizão liderada pela OTAN derrubou seu pai do poder. Em 2014, ele foi extraditado do Niger e preso em Trípoli.

    Antes da derrocada da família, Saadi Khaddafi viveu a glória ao ser o primeiro jogador de futebol da Líbia a jogar na Itália, tendo defendido clubes importantes como Sampdoria, Udinese e Cagliari.

    Muammar Khaddafi acabou assassinado em 2011. A mudança de poder no país provocou uma grave crise humanitárias que culminou com as sucessivas tragédias no Mar Mediterrâneo, onde milhares de líbios fugindo do país em embarcações precárias morrem afogados após naufrágios.

    Tags:
    ex-jogador de futebol, violência, tortura, Internet, imagens, vídeo, Nações Unidas, Procuradoria de Trípoli, ONU, OTAN, Udinese, Cagliari, Sampdoria, Saadi Khaddafi, Saif al-Islam, Samir Ghattas, Muammar Khaddafi, Mar Mediterrâneo, Europa, Itália, Trípoli, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik