13:42 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump (foto de arquivo)

    Casa Branca, dólares e soldados nazistas: campanha de Trump comete nova gafe no Twitter

    © AP Photo/ Greg Allen
    Mundo
    URL curta
    288239

    Pré-candidato republicano à presidência dos EUA, o magnata Donald Trump se envolveu em nova polêmica com um anúncio de campanha no Twitter que, nas cores da bandeira americana, trazia seu rosto estampado ao lado de uma imagem da Casa Branca, de pilhas de notas de dólar e de um grupo de soldados nazistas.

    Assim que os usuários da rede social começaram apontaram a gafe, a campanha de Trump apagou a montagem – acompanhada pela hashtag “Faça a América Grande Novamente” (#MakeAmericaGreatAgain) – e jogou a culpa em um “jovem estagiário”.

    Screenshot do anúncio de Trump: Precisamos de uma verdadeira liderança. Precisamos de resultados.
    © Foto: Twitter
    Screenshot do anúncio de Trump: "Precisamos de uma verdadeira liderança. Precisamos de resultados."

    Os soldados da foto, que supostamente deveriam se passar por herois americanos, foram identificados como atores vestidos como combatentes da Waffen SS da Alemanha hitlerista.

    Os internautas observaram também que os homens retratados não apenas vestiam os uniformes característicos da tropa nazista, mas também levavam insígnias em suas mangas que lembravam a águia da SS. 

    A polêmica – apenas a mais recente de uma série de gafes cometidas por Trump recentemente –, parece não sensibilizar muito o eleitorado do magnata republicano. Na mesma hora em que a imagem dos soldados nazistas foi postada no Twitter, o jornal USA Today publicou uma pesquisa de opinião realizada em parceria com a Universidade de Suffolk, segundo a qual o bilionário liderava com 17% as intenções de voto entre os pré-candidatos de seu partido, à frente de Jeb Bush por três pontos percentuais. 

    Na segunda-feira (13), Trump pediu ao FBI uma investigação sobre uma suposta ameaça feita pelo recém-foragido “El Chapo”, chefão do narcotráfico mexicano.

    Em junho, o magnata norte-americano recebeu duras críticas e revoltou a comunidade hispânica do país ao dizer que o México “não manda as melhores pessoas” para os EUA, sugerindo uma ligação direta entre os imigrantes e os “estupradores e traficantes de drogas”.

    Mais:

    Obama: acordo nuclear com Irã seria impossível sem a Rússia
    Obama anuncia reabertura da embaixada americana em Cuba
    Dilma Rousseff celebra com Barack Obama acordos sobre meio ambiente e educação
    Divulgadas as primeiras páginas dos controversos e-mails de Hillary Clinton
    Candidato à presidência americana promete garantir extradição de Snowden
    Candidato republicano a presidência dos EUA, Rand Paul incendeia seu partido
    Tags:
    imigrantes, traficantes, 2016, campanha, soldados, nazistas, eleições presidenciais, eleições, Waffen-SS, Partido Republicano, El Chapo, Hitler, Jeb Bush, Donald Trump, Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik