07:15 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Joaquín Guzmán, “El Chapo”, quando foi preso em fevereiro de 2014.

    Ministro mexicano admite ajuda de funcionários de presídio em fuga de mega traficante

    © REUTERS/ Henry Romero
    Mundo
    URL curta
    121804

    O ministro do Interior do México, Miguel Ángel Osorio Chong, admitiu nesta terça-feira (14) que autoridades do sistema prisional mexicano devem ter colaborado para a fuga do traficante Joaquín Guzmán, “El Chapo”, de uma prisão de segurança máxima no sábado (11).

    Osorio Chong afirmou acredita na ajuda de agentes para que o criminoso escapasse. O ministro disse que demitiu o diretor do presídio de Altiplano e outros dois servidores do sistema penal e adiantou que o país não descansará enquanto não recapturar o fugitivo. A procuradora-geral do México, Arely Gómez, divulgou que as autoridades do país oferecerão uma recompensa de US$ 3,8 milhões por informações que levem à prisão do traficante.

    “El Chapo” fugiu do presídio de Altiplano por um túnel de 1,5 km. Ele era vigiado 24 horas por dia por câmeras, Osorio Chong afirmou que havia dois pontos cegos, para proteger sua privacidade. O traficante também precisou retirar uma pulseira de monitoramento que usava. Líder do Cartel de Sinaloa, apontado como um dos mais poderosos do mundo, “El Chapo” já havia escapado da prisão antes. Em 2001, após oito anos de reclusão, subornou os guardas do presídio de Guadalajara. Desta vez, acabou pego pela polícia em fevereiro de 2014.

    Tags:
    traficante, recompensa, funcionários, ajuda, colagoração, presídio, fuga, Cartel de Sinaloa, Joaquín Guzmán, El Chapo, Miguel Ángel Osorio Chong, Altiplano, Guadalajara, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik