09:43 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Funcionária arruma bandeiras da Grécia e da UE antes de encontro que aconteceu em Bruxelas entre o premiê grego Alexis Tsipras e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em 3 de junho de 2015

    Boca de urna: Grécia disse “não” no referendo

    © REUTERS/ Francois Lenoir
    Mundo
    URL curta
    203329562

    Segundo dados das pesquisas de boca de urna realizadas esta manhã enquanto durava a votação no referendo grego, os cidadãos disseram “não” às exigências dos credores europeus, divulgou a agência noticiosa russa RIA Novosti. Enquanto isso, os especialistas não excluem que a situação possa mudar durante o dia.

    Protestantes erguem bandeira da Grécia
    © REUTERS/ Alkis Konstantinidis
    O ministro das Finanças grego Janis Varufakis confirmou que irá se demitir se os gregos votarem “sim”.

    A votação pode ser a mais importante na Grécia desde que o país aderiu à União Europeia. A afluência é maior do que nas eleições parlamentares antecipadas em janeiro, dizem os observadores.

    O referendo foi iniciativa do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que já votou e declarou:

    “Vamos dar este passo hoje, mostrar a nossa forte vontade, um passo para a democracia e para um futuro melhor para todos os nós — tanto na Grécia como na Europa.”

    No entanto, a crise econômica na Grécia continuará em todo o caso. Os analistas estimam que, quer a Grécia saia da União Europeia, quer permaneça, quer mantenha o euro ou volte ao dracma, haverá uma situação de austeridade, controlada ou não.

    Tags:
    referendo, dívida, economia, Alexis Tsipras, União Europeia, Grécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik