12:36 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    1151
    Nos siga no

    Moscou acredita que a concessão de descontos no gás vendido à Ucrânia, antes de tudo, deve servir aos interesses da Rússia, disse o ministro da Energia, Aleksandr Novak, depois das negociações sobre o gás entre a Rússia, Ucrânia e União Europeia.

    “Primeiramente acreditamos que o desconto deve ser principalmente no interesse do Estado russo, nos interesses do orçamento, da Gazprom e da oportunidade de garantir o fornecimento de gás aos consumidores ucranianos”, disse Novak na quarta-feira em entrevista ao canal de TV Rossiya 24.

    Ele acrescentou que o desconto corresponde aos preços praticados em territórios adjacentes à Ucrânia. Mas Kiev declarou que espera maiores descontos – cerca de 30%, notou o ministro.

    Por sua vez, a Gazprom confirmou a suspensão do fornecimento de gás à Ucrânia a partir das 10.00 (horário de Moscou) de 1 de julho. De acordo com o presidente da companhia, Aleksei Miller, a Rússia só irá fornecer gás ao país em sistema de pré-pagamento.

    O vice-presidente da aliança energética da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, disse que a CE espera um plano financeiro da Ucrânia sobre o gás antes de fornecer o apoio.

    Nesta terça-feira a estatal ucraniana Naftogaz disse que, a partir do primeiro de julho, vai parar de comprar gás à empresa russa Gazprom, justificando a sua decisão por alegadamente as partes não terem conseguido chegar a acordo sobre o preço do combustível.

    O trânsito de gás através do território da Ucrânia para os clientes da Gazprom na Europa continua a ser feito ao em virtude dos contratos vigentes, acrescentou na nota.

    As negociações tripartidas foram precedidas por reuniões bilaterais entre a Comissão Europeia e as delegações da Rússia e da Ucrânia.

    A Ucrânia já havia expressado a sua não concordância com as condições propostas pela Rússia, que incluíam um desconto de 40 dólares e um preço final de 247,18 dólares por mil metros cúbicos. Kiev também disse que tinha a intenção de receber gás de outras fontes.

    O ministro da energia russo Alexander Novak, por sua vez, indicou que a Rússia não irá negociar um desconto sobre o preço do gás para o terceiro trimestre, uma vez que a decisão já foi tomada e aprovada pelo governo russo.

    Tags:
    negociações, gás, Comissão Europeia, Aleksandr Novak, Aleksei Miller, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar