05:00 13 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    A Rússia está pronta para servir mais uma vez como mediadora para um diálogo entre os altos representantes dos movimentos políticos da Palestina após o sucesso das negociações sediadas nos arredores de Moscou em 2011, segundo afirmou o vice-chanceler russo Mikhail Bogdanov em entrevista coletiva nesta quinta-feira (11).

    "Você sabe que em 2011 mantivemos conversações intrapalestinas perto de Moscou (…). Agora nós estamos prontos, no geral, para repetir o que foi uma experiência positiva, em nossa opinião", disse Bogdanov.

    Os grupos Fatah e Hamas têm estado envolvidos em um impasse político há 10 anos, desde que uma disputa pela partilha do poder deixou o Fatah no controle da Cisjordânia e o Hamas no controle da Faixa de Gaza.

    Em 2011, representantes dos dois grupos se reuniram na Rússia, ao lado de delegados de outros movimentos políticos da Palestina, e reiteraram o compromisso de resolver as disputas internas e alcançar a consolidação do Estado palestino.

    Moscou tem apoiado ativamente o processo de reconciliação entre as facções palestinas e o estabelecimento de um Estado palestino "geograficamente contínuo e viável", com base nas fronteiras de 1967.

    Nesta quinta-feira, o vice-ministro Bogdanov, que regularmente copreside comitês de trabalho russo-palestinos, manteve em aberto a possibilidade de se realizar uma nova rodada de conversações entre os grupos palestinos.

    "Tudo depende da vontade dos palestinos", ressaltou o vice-chanceler russo.

    Bogdanov disse ainda que ele e o ministro-chefe das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, pretendem se reunir com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, e com o chanceler Riyad Maliki em uma reunião da ONU sobre a Palestina marcada para o dia 1º de julho em Moscou.

    Os palestinos buscam o reconhecimento de seu Estado independente nos territórios parcialmente ocupados por Israel depois da Guerra dos Seis Dias (1967), que incluem a Faixa de Gaza, a Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

    A demanda vem ganhando fortes aliados no cenário internacional ao longo dos últimos anos, e atualmente o Estado da Palestina é reconhecido por 135 dos 193 países membros da ONU, incluindo a Rússia e o Brasil.

    Mais:

    Fonte: Grécia quer reconhecer Palestina por votação no parlamento
    Presidente da FIFA propõe amistoso entre Israel e Palestina
    Polícia de Israel mata motorista palestino que atropelou duas agentes israelenses
    Tags:
    ONU, Hamas, Fatah, Autoridade Nacional Palestina, Riyad Maliki, Sergei Lavrov, Mahmoud Abbas, Mikhail Bogdanov, Israel, Jerusalém Oriental, Gaza, Cisjordânia, Moscou, Palestina, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar