01:49 30 Março 2017
Ouvir Rádio
    Desde a queda de Muammar al-Gaddafi, a Líbia se encontra dividida e mergulhada no caos, tendo que lutar ainda contra o fortalecimento do Estado Islâmico no país

    Proposta de paz da ONU desagrada deputados da Líbia

    © AFP 2017/ FETHI NASRI
    Mundo
    URL curta
    0 35840

    O parlamento internacionalmente reconhecido da Líbia disse estar descontente com a proposta de paz das Nações Unidas para acabar com os conflitos no país e, por esse motivo, decidiu convocar seus negociadores para consultas.

    Segundo o porta-voz do legislativo, Fradj Abou Hachem, qualquer membro da delegação oficial líbia que desejar participar das negociações internacionais em Berlim, na próxima quarta-feira, 10, estará agindo por conta própria, e não em nome do parlamento. 

    Negociadores da Líbia estão reunidos desde ontem na cidade marroquina de Skhirat com o objetivo de chegar a um acordo para estabelecer um governo de união nacional antes do Ramadã, que começa no próximo dia 17. O país se encontra mergulhado no caos desde a queda de Muammar al-Gaddafi, em 2011, e, hoje, se vê dividido entre dois governos e dois parlamentos rivais, tendo que lidar ainda com a ascensão do Estado Islâmico. 

    De acordo com o diplomata espanhol Bernardino León, enviado especial da ONU, os recentes ataques terroristas na Líbia deveriam funcionar como uma motivação para os representantes dos dois governos chegarem a um entendimento que possa silenciar as armas, uma vez que não há solução militar para o conflito. 

    Amanhã, os negociadores das duas partes devem se encontrar com autoridades internacionais na Alemanha para falar sobre a proposta das Nações Unidas. 

    Mais:

    Líbia rejeita ação militar contra navios de migrantes
    OTAN ajudará a reforçar defesa da Líbia, mas não agora
    Líbia, Ucrânia e Iêmen: países onde mais jornalistas foram mortos em 2015
    Novo naufrágio expõe problema alavancado após intervenção da OTAN e dos EUA na Líbia
    ONU aprovou resolução sobre combate ao terrorismo na Líbia, mas manteve o embargo de armas
    Tags:
    ONU, Muammar al-Gaddafi, Fradj Abou Hachem, Bernardino León, Berlim, Skhirat, Marrocos, Alemanha, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik