06:38 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Guarda Costeira italiana se aproxima de barco de imigrantes na costa da Líbia, no Mar Mediterrâneo, em 22 de abril de 2015

    10 dos 28 países da UE rejeitam plano de cotas de refugiados

    © AP Photo / Alessandro Di Meo
    Mundo
    URL curta
    133

    Mais de um terço dos países da UE, ou seja, 10 dos 28 que integram o bloco, se posicionaram contra a proposta da Comissão Europeia de introduzir cotas de distribuição de refugiados provenientes de países terceiros.

    Segundo a informação de uma fonte da UE, citada pela agência Sputnik, "a proposta foi rejeitada pela França, Eslováquia, Espanha, Estônia, Hungria, Letônia, Lituânia, Polônia, Reino Unido e República Tcheca".

    A Comissão Europeia lançou na semana passada uma proposta para definir cotas de distribuição de estrangeiros entre os países da UE de acordo com certos critérios relacionados à economia (Produto Interno Bruto), população total, taxa de desemprego, bem como o número de refugiados já instalados em cada país. A expectativa é de que, em dois anos, a UE acolha 20 mil refugiados de países terceiros, principalmente da África.

    Em uma reunião entre os ministros das relações exteriores e da defesa da UE em Bruxelas, na última segunda-feira, 18, foi aprovada uma operação militar para acabar com a máfia de contrabandistas de imigrantes ilegais no Mediterrâneo.

    De acordo com os dados da agência de controle das fronteiras europeia Frontex, pelo menos 1.754 imigrantes ilegais morreram no Mediterrâneo entre janeiro e abril deste ano.


    Mais:

    Comissão Europeia aprova operação militar contra barcos de imigrantes ilegais
    UE apela a Portugal para cortar despesas e ao mesmo tempo propõe acolher mais imigrantes
    Governo italiano sugere escravizar imigrantes para não "deixá-los sem fazer nada"
    Comissário da ONU: Europa deve estabilizar Oriente Médio para conter fluxo de imigrantes
    Tags:
    imigrantes, refugiados, Comissão Europeia, União Europeia, Reino Unido, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar