22:05 26 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 13
    Nos siga no

    O coordenador humanitário da ONU para o Iêmen, Johannes Van Der Klaauw, disse nesta sexta-feira, 15, que 1.600 pessoas foram mortas e mais de 6.200 ficaram feridas no Iêmen desde que o conflito civil se intensificou no final de março.

    "O impacto do conflito mostrou que ele tem um custo terrível sobre os civis. Em dois meses de agravamento do conflito, foram mais de 1.600 pessoas foram mortas e mais de 6.200 ficaram feridas por ataques aéreos e através dos combates terrestres”, disse o funcionário das Nações Unidas.

    Ele acrescentou que cerca de 450 mil pessoas foram deslocadas de suas casas como resultado da contínua violência.

    O conflito interno no Iêmen se intensificou no início de 2015 depois que os rebeldes Houthi tomaram importantes áreas do país, incluindo a capital Sanaa.

    O número de vítimas aumentou drasticamente após uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, principalmente após países do Golfo começarem a realizar ataques aéreos contra posições Houthi, a pedido do presidente do Iêmen, Abd Rabbuh Mansur Hadi, no final de março.

    Em abril, a campanha aérea da coalizão foi nominalmente substituída por uma operação destinada a combater o terrorismo e a encontrar uma solução política para a crise, mas os ataques aéreos continuaram.

    Um cessar-fogo humanitário foi anunciado na noite da última terça-feira para entregar ajuda aos feridos e deslocados por conta da violência. 

    Caricatura de Vitaly Podvitski
    © Sputnik / Vitaly Podvitski
    Caricatura de Vitaly Podvitski

    Mais:

    Iêmen quer romper relações diplomáticas com Irã
    Embaixador do Irã pede esforços para a chegada de navio com ajuda humanitária ao Iêmen
    Obama manterá sanções contra quem “ameaça a estabilidade” no Iêmen
    Arábia Saudita e Houthis trocam acusações sobre violação de cessar-fogo no Iêmen
    Irã rejeita pedido dos EUA e mantém rota de navio humanitário para o Iêmen
    Tags:
    Arábia Saudita, Iêmen, Abd Rabbuh Mansur Hadi, ONU, conflito, mortes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar