02:18 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Parada de Vitória em Moscou

    China e Rússia acordam reforçar relações bilaterais

    © Sputnik /
    Mundo
    URL curta
    0 432
    Nos siga no

    A Parada da Vitória em Moscou deste ano demonstra claramente que a Rússia está firmemente convicta da necessidade de paz a nível internacional, disse o líder da China.

    "Hoje, foram realizadas na Praça Vermelha com muito êxito as solenidades dedicadas ao Dia da Vitória <…> Tudo isso demonstrou mais uma vez os novos objetivos do povo russo na tarefa do desenvolvimento estatal e mostrou ao mundo inteiro que a Rússia tem convicções firmes na questão da garantiada paz", declarou Xi Jinping.

    O presidente chinês está agora em Moscou em sua quarta visita oficial à Rússia como chefe de Estado. Neste sábado, ele assistiu à parada militar anual, dedicada aos 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial.

    Vladimir Putin (centro) e Xi Jinping (esquerda, com a esposa, Peng Liyuan), durante a Parada da Vitória em Moscou, em 9 de maio de 2015
    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    Vladimir Putin (centro) e Xi Jinping (esquerda, com a esposa, Peng Liyuan), durante a Parada da Vitória em Moscou, em 9 de maio de 2015

    E na sexta-feira (8), ele manteve conversações com o presidente russo, Vladimir Putin. Hoje, qualificou as conversas havidas como "abrangentes". Xi Jinping destacou que o fortalecimento das relações bilaterais foi o foco principal do encontro:

    "Nós concordamos em seguir apoiando o desenvolvimento das relações sino-russas ao mais alto nível, considerar as nossas relações como direções prioritárias da nossa política externa, reforçar o apoio mútuo em assuntos ligados a interesses nacionais vitais do outro país".

    Além disso, o presidente da China acrescentou que durante a sua visita à Rússia, ele assinou uma série de documentos que fomentam a cooperação bilateral em várias áreas.

    Tags:
    cooperação, Parada da Vitória, Xi Jinping, Vladimir Putin, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar