03:51 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Parada militar do Dia da Vitória, em Moscou

    Lavrov: Moscou espera receber altos representantes no Dia da Vitória

    © Sputnik/ Alexander Vilf
    Mundo
    URL curta
    0 833142

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que Moscou ficará feliz por cumprimentar todos os que decidam partilhar com a Rússia a celebração do 70º aniversário da vitória na Segunda Guerra Mundial. Ao mesmo tempo, o Kremlin compreende aqueles que não podem ir a Moscou em 9 de maio.

    A Rússia prepara um grande desfile militar em homenagem aos 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial, que promete se tornar a maior solenidade do gênero na nova história do país. Mais de 15 mil militares e cerca de 200 unidades de diversos tipos de equipamento militar mais moderno devem participar do evento. Segundo o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, a maioria dos armamentos ainda não havia sido apresentada.

    Moscou espera receber líderes de quase 30 países.

    Já está confirmada a presença de dois líderes do grupo BRICS, os presidentes da China e da Índia, Xi Jinping e Pranab Kumar Mukherjee. O grupo de BRICS e, nomeadamente, estes dois países são parceiros de grande importância estratégica para a Rússia.

    Representantes de várias ex-repúblicas soviéticas também participarão das celebrações: os líderes do Tadjiquistão, Emomali Rakhmov, da Quirguízia, Almazbek Atambaiev, da Armênia, Serj Sargsyan, do Azerbaijão, Ilham Aliyev, e do Turquemenistão, Gurbanguly Berdimuhammedow.

    Os países africanos serão representados pelos chefes de Estado de Burkina Faso, África do Sul, Tanzânia, Ruanda, Libéria, Gâmbia, Lesoto, Mauritânia e Somália.

    Mesmo que a União Europeia não seja representada por um responsável oficial, dois países da UE decidiram participar na cerimônia. O líder da Grécia, Prokopis Pavlopoulos, chegará a Moscou, mostrando mais uma vez o desejo de cooperar com a Rússia. Juntamente com a Grécia, o Chipre está também na linha de frente contra as sanções antirrussas. O seu líder, Nikos Anastasiadis, assistirá ao desfile na praça Vermelha em Moscou.

    A Sérvia, apesar da intenção de se juntar à União Europeia, decidiu ser fiel à amizade e laços históricos que a unem à Rússia.

    Vários líderes europeus, incluindo o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, a chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro britânico David Cameron recusaram os convites para participar dos eventos do Dia da Vitória, alegando um suposto envolvimento da Rússia na crise ucraniana.

    Segundo alguns analistas, os EUA pedem ao Vietnã para não cooperar com a Rússia porque isto interfere com os interesses norte-americanos. Mas mesmo nesta situação, o presidente do Vietnã, Truong Tan Sang, decidiu estar presente na Parada da Vitória.

    Os líderes de Cuba, Cabo Verde, Guiné, Mongólia e Palestina também irão à praça Vermelha para comemorar os 70 anos da vitória sobre o nazismo.

    Mais:

    A preparação da parte aérea da Parada da Vitória
    Bandeira da Rússia estará no desfile dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial, no Rio
    Presidente da Polônia diz que Parada da Vitória na Rússia é "manifestação de força"
    Tags:
    desfile, cooperação, Parada da Vitória, Dia da Vitória, Segunda Guerra Mundial, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik