11:52 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    O brasileiro Rodrigo Gularte, condenado à morte na Indonésia por tráfico de drogas

    Indonésia executa brasileiro e outros sete condenados por tráfico

    © AFP 2019/ STR/AFP
    Mundo
    URL curta
    0 153

    O brasileiro Rodrigo Gularte e outros sete presos condenados por tráfico de drogas foram executados nesta terça-feira, na Indonésia. O fuzilamento aconteceu no início da tarde, no horário de Brasília.

    A Indonésia já havia confirmado que executaria os condenados nesta terça-feira, apesar das pressões internacionais e da angústia dos familiares que se despediam dos réus. Apenas a filipina Mary Jane Veloso, que estava no grupo dos condenados, não foi executada porque, segundo a Agência Estado, uma mulher que supostamente a usou para entrega de drogas se entregou à polícia.

    No grupo de condenados levados ao fuzilamento estavam dois australianos (Andrew Chan e Myuran Sukumaran), três nigerianos (Raheem Agbaje, Silvester Obiekwe Nwaolise e Okwudili Oyatanze), um ganês (Martin Anderson) e um indonésio (Zainal Abidin), além do brasileiro Rodrigo Gularte.

    Gularte foi preso em julho de 2004, quando tentou entrar na Indonésia com uma prancha de surfe recheada de cocaína. A justiça local decretou sua pena no ano seguinte. Até a última semana, a defesa de Gularte tentou convencer a Justiça da Indonésia de que ele precisava de tratamento psiquiátrico, mas não obteve sucesso. Ele foi o segundo brasileiro morto no país este ano. Marco Archer Cardoso Moreira, também condenado por tráfico, foi fuzilado em janeiro junto com outros cinco presos.

    A condenação à pena capital de estrangeiros na Indonésia gerou protestos de muitos países. O Brasil e a Noruega chamaram de volta seus embaixadores em fevereiro. A Presidente Dilma Rousseff negou temporariamente as credenciais do novo embaixador indonésio no Brasil.

    O presidente indonésio, Joko Widodo, assumiu em 2014 fazendo do combate ao tráfico internacional de drogas uma bandeira. Ele negou clemência aos condenados e, durante todo o tempo, declarou que a pena de morte é parte do sistema legal da Indonésia e frisou que outros países não devem interferir em sua política. "Nada vai intervir na execução da pena capital, porque é nossa soberania legal, nossa soberania política."

    Mais:

    França faz ameaça à Indonésia em caso de execução de cidadão francês
    Indonésia não aceita recurso contra sentença de morte de australianos
    Indonésia rejeita pedido de troca da Austrália, e presos serão executados
    Pena de morte na Indonésia vira motivo de disputa na ONU
    Ministro da Defesa comenta a crise diplomática com Indonésia
    Tags:
    tráfico de drogas, condenação, fuzilamento, execução, Joko Widodo, Rodrigo Gularte, Indonésia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar