06:42 20 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Juha Sipilä, líder do partido finlandês Centro

    Imprensa alemã: novo premiê da Finlândia poderá pôr fim às sanções impostas à Rússia

    © REUTERS / Vesa Moilanen/Lehtikuva
    Mundo
    URL curta
    0 352

    O partido Centro, que venceu as eleições parlamentares na Finlândia, poderá acabar com as sanções impostas à Rússia pela União Europeia, defende a publicação alemã Deutsche Wirtschafts Nachrichten.

    Centro é um partido de oposição liderado por Juha Sipilä e que cujo principal tema da campanha eleitoral foi a economia.

    “A situação econômica na Finlândia deixa a desejar. Recentemente, o ministro das Finanças declarou que uma década foi perdida. O nível de desemprego é alto e a Nokia, porta-bandeira do país, perdeu o seu brilho. Com a introdução do euro o país perdeu o seu alto poder de crédito, o que repercutiu de forma bastante negativa sobre a economia” — escreve a edição alemã.

    O jornal destaca que Juha Sipilä, ele próprio um empreendedor, dá grande prioridade ao estímulo da economia e à recuperação da competitividade, o que, por sua vez, poderá redefinir o rumo da política externa da Finlândia, principalmente em relação as sanções anti-russas e à OTAN.

    Bandeira da UE e Finlândia
    © AFP 2018 / PEKKA SAKKI / LEHTIKUVA / AFP
    “De todos os países da UE, a Finlândia é quem possui a mais extensa fronteira com a Rússia, sendo este país um de seus principais parceiros comerciais. Mesmo durante a campanha eleitoral, Sipilä declarou que o efeito econômico das sanções contra a Rússia foi subestimado, e que o mesmo deveria ser analisado e minuciosamente estudado. Isso deixa claro que o novo governo tentará acabar com as sanções” — acredita o jornalista alemão do DWN.

    Além disso, Juha Sipilä é também contrário à adesão da Finlândia à OTAN, posição, que segundo a publicação, é compartilhada pela maioria dos finlandeses. Durante a campanha eleitoral, o político chegou a declarar que o país precisa promover um referendo, caso a questão se torne atual.

    Tags:
    sanções, União Europeia, Juha Sipilä, Finlândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik