17:57 22 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Ban Ki-moon, na abertura da III Conferência Anual de Doadores para a Síria.

    Ban Ki-moon afirma que crise humanitária na Síria é a mais grave da atualidade

    © REUTERS/ Stephanie McGehee
    Mundo
    URL curta
    0 8203

    O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou na abertura da III Conferência Anual de Doadores para a Síria que o país árabe sofre a mais grave crise humanitária da atualidade. Ele destacou que quatro em cada cinco sírios vivem em situação de miséria e provações.

    Ban Ki-moon disse que, nos últimos anos, a Síria perdeu quatro décadas de desenvolvimento humano e sublinhou que quase metade dos homens, mulheres e crianças sírios foram obrigados a deixar suas casas. Os números oficiais são de 10 milhões de refugiados ou deslocados desde março de 2011. O país tinha 23 milhões de habitantes antes do conflito que ainda matou mais de 215 mil pessoas.

    A situação, cuja ONU registra números recordes, necessita de um esforço sem precedente, conforme apelou Ban Ki-moon aos representantes dos 67 países que participam da conferência. Ele afirmou querer chegar ao valor de US$ 8,4 bilhões de doações em um ano. Pelo menos, na abertura do evento, uma boa quantia foi garantida, já que o emir do Kwait, Sabah Al Ahmad Sabah, prometeu US$ 500 milhões para a Síria.

    Tags:
    doações, miséria, refugiados, crise humanitária, Conferência de Doadores, Nações Unidas, ONU, Ban Ki-moon, Sabah Al Ahmad Sabah, Kwait, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik