18:20 21 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Bandeira russa

    Opinião: somente a Rússia pode parar a expansão dos EUA

    © AFP 2017/ Alexander KHUDOTEPLY
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia em foco da política internacional (289)
    0 4913836

    As barreiras entre os continentes, a cortina de ferro que separa as nações e povos, a instabilidade no mundo são benéficas para quem pretende se consolidar como um fiador global de segurança regional – para os Estados Unidos, de acordo com a CounterPunch.

    A publicação independente norte-americana CounterPunch opina:

    "Se o Departamento de Estado não tivesse dado início ao golpe de Estado na Ucrânia para derrubar o legalmente eleito presidente Viktor Yanukovich, os Estados Unidos não poderiam se infiltrar nas relações entre a União Europeia e a Rússia e destruir os contatos que apareceram entre a Europa e a Ásia".

    Para os EUA, é vital dividir a Europa e Ásia. Para fazer isso foi criada uma zona tampão entre os mares Báltico e Negro, que também passa a ser o trampolim para a agressão norte-americana futura. Os EUA já estão trazendo sua força à Europa, embora a mídia dos EUA silencie este fato.

    Embora os países europeus apoiem as sanções contra a Rússia, eles não são muito felizes pela escalada militar perto das suas fronteiras. O principal iniciador do processo são os EUA, e não a OTAN.  A publicação nota que esta é a razão porque todos os custos são pagos pelos EUA.

    Vale ressaltar que os analistas que representam diferentes campos políticos concordam em que o reforço da cooperação entre a Rússia e a Alemanha não coincidem com os interesses dos EUA, porque "unidos, eles vão ser a única força real capaz de enfrentar os Estados Unidos", escreve a CounterPunch.

    Ministro das Relações Exteriores Sergei Lavrov
    © Sputnik/ Vitaly Belousiv
    Os Estados Unidos acreditam que têm direito histórico para governar o mundo. Então, a situação na Ucrânia não tem nada a ver com a democracia ou a independência, ou com a chamada agressão russa. Os EUA apenas estão tentando a retardar o declínio da sua economia.

    Portanto, Washington fará de tudo para ajustar Bruxelas contra Moscou e economicamente minar a Rússia. "Dividir para conquistar, essa é a chave para o sucesso. Deixe-os todos constantemente roer a garganta um do outro. Os sunitas contra os xiitas, uma nação na Ucrânia contra outra nação, os russos contra os europeus. Este é o plano de Washington, e ele nunca falha", resume a CounterPunch.

    Washington tem planos de sair vitorioso deste conflito, estabelecer o controle sobre os dois continentes e manter a sua posição como a única superpotência.
    "Apenas a Rússia pode parar os Estados Unidos, e esperamos que ela irá fazê-lo", resume CounterPunch.

    Tema:
    Ucrânia em foco da política internacional (289)

    Mais:

    Opinião: Ocidente reagiu à crise na Ucrânia de forma “ingênua e ignorante”
    Opinião: Rússia impede “domínio mundial” dos EUA
    Tags:
    mídia, Ásia, União Europeia, Europa, Alemanha, EUA, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik