23:46 26 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Mumia Abu-Jamal em 1998

    Preso político: “Igualdade não existe nos EUA”

    © flickr.com/ Prison Radio
    Mundo
    URL curta
    0 1101224

    Em entrevista à Sputnik International, o ativista da causa dos direitos dos afro-americanos e jornalista independente norte-americano Mumia Abu-Jamal declarou que nos EUA, os negros vivem “em um inferno”.

    Mumia Abu-Jamal é um dos presos políticos mais famosos dos Estados Unidos. Ele foi condenado pelo assassinato, em 1981, do policial Daniel Faulkner. Ele fazia parte do movimento Black Panthers (que exigia respeito pelos direitos dos negros nos EUA) e era jornalista de rádio. Tendo evitado a sentença de morte, Abu Jamal está agora em solitária, com prisão perpétua.

    Segundo o ativista, os acontecimentos em Ferguson, que marcaram 2014 e o início de 2015, são um exemplo que reflete quase completamente o estado da população negra do país.

    "Ferguson nos diz tudo: que para os negros pobres, a sua vida é um verdadeiro inferno, porque o estado (de Missouri) explora os pobres pelo seu dinheiro e prende os devedores. Mike Brown nos mostrou que eles usam terror, assim, sem piscar os olhos, para manter os nativos em linha. As coisas estão infernais hoje em dia, apesar dessa fábula dos "direitos humanos" e suas vitórias", disse Abu-Jamal.

    O ativista comentou também a atuação do primeiro chefe de Estado negro do país. Segundo Abu-Jamal, "a eleição (e reeleição) de Obama foi brilho político. Mas não beneficia ninguém, porque os rostos negros que ocupam altos cargos não são suficientes para manter, projetar e utilizar o poder".

    Além disso, Abu-Jamal sublinhou que nos EUA, não existem "direitos iguais", sendo somente uma "quimera" política.

    Mais:

    Novos tumultos em Ferguson resultam em tiroteio contra policiais
    EUA voltam a protestar contra o racismo
    Tags:
    racismo, Barack Obama, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik