14:29 25 Março 2017
Ouvir Rádio
    Barack Obama, presidente dos Estados Unidos

    Obama: Ocidente precisa se erguer contra o extremismo violento

    © REUTERS/ Jonathan Ernst
    Mundo
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    0 25816

    O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que o Ocidente precisa elevar seus esforços na luta contra o extremismo violento.

    "A noção de que o Ocidente está em guerra com o Islã é uma grande mentira, e todos nós, independentemente de credo, temos a responsabilidade de rejeitá-la", disse o chefe-de-governo americano em Washington, em uma cúpula sobre como responder ao extremismo violento. "Todos nós temos a responsabilidade de rejeitar a versão de que grupos como o ISIL (Estado Islâmico do Iraque e do Levante, na sigla em inglês) representam o Islã porque é uma falsidade que faz parte da narrativa terrorista."

    A Casa Branca organizou esta cúpula de três dias após uma recente onde de ataques realizados por extremistas muçulmanos na Europe e no Oriente Médio. Cidadãos americanos e europeus têm se juntado a organizações terroristas como o Estado Islâmico e a Al-Qaeda.

    Obama também afirmou que os Estados Unidos continuam a trabalhar com governos de outros países, compartilhando informações e abordando temas explorados pelos terroristas. Ao mesmo tempo, o governo americano, afirma o presidente, segue trabalhando junto à coalizão de cerca de 60 países na luta contra o Estado Islâmico no Iraque a na Síria.

    A cúpula tem como objetivo debater esforços domésticos e internacionais para prevenir o extremismo violento e o terrorismo. Os temas abordados foram relacionados ao extremismo e incluíam a radicalização, o recrutamento e a motivação para a iniciativa de ataques violentos.

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)

    Mais:

    Obama pede ao Congresso o uso de força militar contra EI
    Estado Islâmico tenta atacar base naval dos EUA
    OPAQ alerta para o acesso do Estado Islâmico a armas químicas
    Tags:
    terrorismo, Casa Branca, Estado Islâmico, Barack Obama, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik