13:52 21 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Fotos

    Base aérea síria volta a funcionar um dia depois de ser bombardeada pelos EUA

    URL curta
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)
    32394
    • A base militar da Força Aérea Síria, Shayrat, que foi atacada por mísseis dos EUA em 6 de abril, retoma realização de voos de combate – caças sírio decolam e aterrissam seguramente
    • A base aérea está funcionando habitualmente. Aviões estão completando tarefas e efetuam voos de combate, atacando terroristas, declarou um oficial sírio à Sputnik em 8 de abril
    • Isso é que acredito que Assad esteja falando para Trump ao voar desta base: 'Foda-se', diz o senador norte-americano, Lindsey Graham, ao NBC, acrescentando que, em sua opinião, o presidente sírio esteja cometendo um grave erro
    • Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira em um aeródromo sírio, localizado próximo à cidade de Homs
    • O ataque destruiu oito hangares e todo o equipamento militar que estava dentro, mas não danificou caças nem pista de pouso
    • O presidente dos EUA, Donald Trump, comunicou que o ataque contra base aérea de Shayrat foi uma resposta ao alegado ataque químico na cidade síria de Idlib em 4 de abril, que , segundo Washington, foi realizado pelo governo sírio e que, segundo a Rússia foi uma operação de bandeira falsa
    • Na quinta-feira (7), os EUA e seus aliados acusaram o presidente sírio Bashar Assad de usar componentes tóxicos no ataque que causou a morte de 80 pessoas e deixou 200 feridas nos arredores da cidade de Khan Shaykhun, província de Idlib
    • Apesar do fato de não haver evidências que Assad tenha ordenado usar componentes tóxicos contra civis, Trump ordenou para o Departamento da Defesa dos EUA que efetuasse a missão contra Damasco, declarando ser uma resposta ao ataque químico terrível aos civis inocentes através do uso de substâncias tóxicas mortais
    • O governador de Homs, Talal al-Barazi, informou que pelo menos sete pessoas foram assassinadas, incluindo dois civis da aldeia, localizada nos arredores da base aérea
    • De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, o ataque matou quatros militares sírios, dois desapareceram e seis ficaram gravemente feridos. O exército sírio, no entanto, declarou que todas as dez pessoas morreram
    © Sputnik/ Mikhail Voskresenskiy
    A base militar da Força Aérea Síria, Shayrat, que foi atacada por mísseis dos EUA em 6 de abril, retoma realização de voos de combate – caças sírio decolam e aterrissam seguramente.

    Os EUA lançaram na noite desta quinta-feira (7) cerca de 50 mísseis Tomahawk a partir de navios que estavam operando no mar Mediterrâneo. O ataque teve como alvo a base aérea de Shayrat (província de Homs), controlada pelo exército governamental sírio.

    O presidente dos EUA, Donald Trump disse que o ataque contra base aérea de Shayrat foi uma resposta ao alegado ataque químico na cidade síria de Idlib em 4 de abril, que, segundo Washington, foi realizado pelo governo sírio.

    No sábado (9), dois dias depois do ataque, a base aérea síria de Shayrat voltou a funcionar.

    Tema:
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)

    Mais:

    Dois militares russos morrem em resultado de ataque terrorista na Síria
    Falcão republicano McCain aconselha como EUA devem se comportar com Rússia e Síria
    Deputado russo: ataque a instalações militares russas na Síria provocará 'ações reais'
    Casa Branca: May e Merkel apoiam o ataque dos EUA à Síria
    Tags:
    combate ao terrorismo, voos, equipamento militar, pista, substâncias tóxicas, acusações, feridos, mortos, civis, mísseis, bombardeios, ataque químico, Tomahawk, Donald Trump, Bashar Assad, Washington, EUA, Homs, Idlib, Shayrat, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Mais fotos