11:58 28 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    8622
    Nos siga no

    A União Europeia (UE) convocou seu embaixador em Cuba, Alberto Navarro, de volta a Bruxelas para explicações sobre carta aberta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pedindo o fim da interferência nos assuntos internos cubanos.

    A informação sobre o retorno do enviado europeu foi veiculada pelo site Politico neste sábado (27), citando como fonte um porta-voz da UE. Na última quarta-feira (24), um grupo de 16 membros do Parlamento Europeu enviou uma carta ao chefe de política externa da UE, Josep Borrell, pedindo-lhe que demitisse Alberto Navarro.

    O principal motivo citado foi a assinatura da carta, que, entre outras coisas, pedia a Biden para que garantisse pessoalmente o fim das sanções contra Cuba. Além de Navarro, a carta foi supostamente assinada principalmente por funcionários e cidadãos cubanos.

    "Recebemos a carta [dos eurodeputados] e pedimos ao embaixador que viesse a Bruxelas para dar explicações. Entretanto, lhe pedimos que fornecesse uma nota detalhando o assunto", disse o porta-voz da UE.

    O representante da UE não especificou se Borrell estava considerando despedir o embaixador, mas o próprio fato de convocá-lo a Bruxelas já é considerado uma dura reprimenda.

    O alto representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e Assuntos de Segurança, Josep Borrell
    © AP Photo / Pool / Francois Lenoir
    O alto representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e Assuntos de Segurança, Josep Borrell

    Conforme observado pelo site Politico, o próprio Borrell já criticou o embargo dos EUA contra Cuba, ainda no início deste mês, durante uma coletiva de imprensa em Moscou. Porém, os legisladores da UE ficaram surpresos com a iniciativa aparentemente independente de Navarro de assinar uma carta de exigências dirigida a um governo de um país terceiro, classificado como "amigo e aliado da UE". Segundo os europeus, Navarro não está credenciado para esse tipo de demonstração.

    Mais:

    Enfrentando novo surto, Cuba registra recorde diário de casos de COVID-19
    Bogotá diz que recebeu informação de Cuba sobre possível atentado
    Soberana: Cuba confirma início de testes de fase 3 de vacina contra COVID-19 feita na Ilha
    Tags:
    Josep Borrell, Bruxelas, Havana, EUA, Joe Biden, União Europeia, Cuba
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar