00:07 23 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)
    0 20
    Nos siga no

    Ainda em meio à segunda onda da pandemia, o governo italiano anunciou que pretende endurecer as medidas para conter a propagação do novo coronavírus durante o período de Natal e Ano Novo no país.

    As restrições foram anunciadas nesta quarta-feira (2) e incluem limitar o movimento em todo o país, disse o ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza.

    "Para celebrar o Natal e o final do ano de forma adequada, as restrições previstas devem ser reforçadas, inclusive no âmbito da coordenação europeia que nosso país tem promovido nas últimas semanas", disse Speranza ao apresentar o plano nacional de vacinação ao Senado italiano.

    Ainda segundo a declaração do ministro, a coordenação internacional é necessária no âmbito das atividades que são realizadas nas fronteiras entre os países. Em particular, Speranza propôs limitar os contatos desnecessários entre as pessoas o máximo possível.

    "O governo acredita que durante o feriado de Natal, as viagens entre os países devem ser reduzidas e as viagens entre as regiões, limitadas. Além disso, nos dias mais importantes - 25 a 26 de dezembro, assim como 1º de janeiro - deve-se limitar o movimento entre cidades", disse.
    Agentes de saúde fazem a desinfecção de edifícios na região de Lazio, na Itália, em 8 de março de 2020
    © AP Photo / Cecilia Fabiano
    Agentes de saúde fazem a desinfecção de edifícios na região de Lazio, na Itália, em 8 de março de 2020

    O ministro acrescentou também que essas medidas ajudariam a evitar a introdução de restrições mais duras em janeiro e fevereiro. De acordo com o que publicou o jornal italiano Corriere Della Sera, o governo pretende introduzir um novo conjunto de restrições a partir da sexta-feira (4). Em particular, o novo decreto deverá impor uma quarentena para aqueles que chegam do exterior a partir de 20 de dezembro, estender o toque de recolher existente e limitar significativamente o movimento entre as regiões.

    Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, a Itália tem hoje 1.641.610 casos confirmados de COVID-19 e 57.045 mortes causadas pela doença.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)

    Mais:

    Itália dá início aos testes de sua vacina contra coronavírus
    Pompeo adverte Itália sobre supostos riscos ao fazer negócios com a China
    SARS-CoV-2 circula na Itália desde setembro de 2019, afirma estudo
    Tags:
    COVID-19, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar