17:19 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    A Associação de Apicultores britânica foi alertada sobre um possível ninho de vespas asiáticas na vila de Rogiet, no sul de Gales, embora ainda não tenha sido confirmado pelos órgãos competentes.

    "Um pequeno ninho de vespas em um armazém em Monmouthshire foi destruído, mas Defra [Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais] não confirmou que era um ninho de vespas asiáticas. Os apicultores da região estão de olho nas vespas asiáticas", confirmou a associação.

    "Todos os apicultores devem vigiar vespas e continuar procurando ninhos em galpões e árvores durante suas caminhadas ao ar livre", complementaram.

    As vespas asiáticas não são nativas do Reino Unido, mas já foram vistas em vários locais, incluindo os condados de Staffordshire, Hampshire e Kent.

    Os insetos são um pouco menores que a vespa europeia nativa e, embora geralmente não sejam perigosas para os seres humanos, elas representam um risco para as abelhas polinizadoras.

    Vespa asiática capturada em Washington, nos EUA, 23 de abril de 2020
    © REUTERS / Departamento de Agricultura do Estado de Washington / Handout
    Vespa asiática capturada em Washington, nos EUA, 23 de abril de 2020

    Atualmente, não existem populações conhecidas de vespas asiáticas no Reino Unido, mas isso pode mudar conforme se aproxima o verão no Hemisfério Norte.

    "Pessoas devem estar atentas à chegada desta espécie invasora não nativa durante todo o ano, mas principalmente durante a primavera, o verão e o outono [no Hemisfério Norte], quando a maioria dos insetos está ativa", disse ao The Mirror a ecologista Helen Roy.

    Mais:

    Venenosa vespa asiática mata apicultor na Espanha
    Gigante 'vespa assassina' mata rato em menos de 1 minuto com veneno poderoso (VÍDEO)
    Um mal após outro: vespas asiáticas 'assassinas' chegam e aterrorizam EUA
    Tags:
    Reino Unido, insetos, abelhas, vespa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar