22:07 14 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Navios ucranianos Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu no porto de Kerch

    Liberação de marinheiros pode reabrir diálogo com a Rússia, diz presidente da Ucrânia

    © Sputnik / Assessoria de imprensa do Departamento de Fronteiras do Serviço Federal de Segurança da Rússia na Crimeia
    Europa
    URL curta
    13212
    Nos siga no

    Se liberar, de acordo com a decisão do Tribunal Internacional do Direito do Mar (ITLOS), os marinheiros ucranianos detidos em novembro passado no estreito de Kerch por violar a fronteira, a Rússia pode dar um passo para desbloquear o diálogo com Kiev, declarou neste sábado o presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky.

    "O cumprimento por parte da Federação Russa da ordem do tribunal internacional da ONU para libertar os marinheiros e os navios ucranianos capturados podem tornar-se um primeiro sinal de que o governo russo está realmente preparado para acabar com o conflito com a Ucrânia. Desta forma, a Rússia pode dar um passo no sentido de desbloquear as negociações", escreveu o presidente ucraniano em sua conta no Facebook.

    Neste sábado, o Tribunal Internacional do Direito do Mar (ITLOS) ordenou que a Rússia libere os três navios ucranianos e suas tripulações, detidos no estreito de Kerch em 25 de novembro. No entanto, o tribunal das Nações Unidas não considerou necessário exigir que a Rússia suspenda o processo criminal contra os 24 ucranianos detidos.

    "Vamos ver que caminho o Kremlin escolhe", disse Zelensky, acrescentando que a Ucrânia está esperando há muito tempo que seus militares voltem para casa.

    A Rússia, que não participou das audiências do tribunal, sustenta que o organismo não tem jurisdição para examinar o caso ou realizar uma arbitragem entre Moscou e Kiev.

    Em 25 de novembro de 2018, três navios da Marinha ucraniana violaram a fronteira russa ao entrar em uma área provisoriamente fechada do mar Negro, avançando em direção ao estreito de Kerch, que liga os mares Negro e Azov e separa a península da Crimeia do resto do território russo.

    Os navios ucranianos realizaram manobras perigosas e ignoraram à demanda para parar, então eles foram detidos com 24 membros da tripulação, que estão atualmente sendo processados em uma ação criminal pela passagem fronteiriça ilegal.

    Moscou chamou o episódio de provocação ucraniana e afirmou que Kiev violou as regras fundamentais do direito internacional, enquanto os oficiais russos agiram de acordo com a lei.

    Mais:

    EUA não ajudarão caso navios da Ucrânia entrem de novo no estreito de Kerch, segundo fonte
    General revela que navios militares da Ucrânia tentarão atravessar estreito de Kerch
    Deputado: quaisquer ações da Ucrânia no estreito de Kerch terão 'atenção especial'
    Tags:
    soberania, invasão, justiça, relações bilaterais, diplomacia, Marinha da Ucrânia, ONU, Tribunal Internacional do Direito do Mar (ITLOS), Vladimir Zelensky, Crimeia, mar Negro, mar de Azov, estreito de Kerch, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar