06:16 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Heinz-Christian Strache, líder do Partido da Liberdade da Áustria (arquivo)

    Vice-chanceler da Áustria pede demissão em meio a escândalo envolvendo cidadã russa

    © AP Photo / Ronald Zak
    Europa
    URL curta
    141
    Nos siga no

    Na Áustria rebentou um escândalo de grande envergadura após a divulgação de notícias envolvendo um vídeo do vice-chanceler Heinz-Christian Strache em um encontro com uma mulher russa que a mídia diz ser Alyona Makarova. Nesse encontro teria sido discutida a compra do jornal austríaco Kronen Zeitung em troca de apoio ao partido de Strache nas eleições parlamentares.

    As edições Spiegel e Sueddeutsche Zeitung relataram, referindo um vídeo que haviam recebido, que em 2017 Strache discutiu a possibilidade de compra da edição austríaca Kronen Zeitung com Makarova, suposta sobrinha de um influente empresário russo, para obter ajuda nas eleições parlamentares.

    Além disso, as publicações observaram que também foram discutidos outros acordos, segundo os quais Makarova poderia ter acesso a contratos estatais em troca de assistência ao Partido da Liberdade da Áustria (FPO), do qual Strache é líder. A Procuradoria-Geral da Áustria disse que iria verificar o vídeo.

    O jornal Welt escreve que a conversa entre Strachhe e a mulher russa durou cerca de seis horas, sendo que Alyona Makarova teria sido apenas uma isca e a própria reunião uma armadilha. O jornal Spiegel tem a mesma opinião, especificando que a moradia onde os "negócios de milhões de dólares" foram discutidos tinha várias câmeras escondidas instaladas.

    Mas quem e com que objetivo as instalou para comprometer o futuro vice-chanceler ainda não se sabe. Como resultado do escândalo, Strachhe anunciou sua demissão do cargo no sábado (18).

    "Hoje às 11:00 falei com o chanceler Sebastian Kurz e pedi-lhe a demissão do cargo de vice-chanceler da Áustria, e ele tomará a decisão", disse Strachhe aos jornalistas. Além disso Strache afirmou que o seu partido não recebeu qualquer assistência da alegada mulher russa que figura no escandaloso vídeo.

    "Encontrei esta senhora uma vez durante um jantar privado durante as minhas férias, depois do qual não tive mais contato com ela, e nunca mais a vi. Não recebi nenhuma ajuda para o partido [...] dessas pessoas", disse Strache aos jornalistas, refutando assim as declarações da mídia. Ele também acrescentou que ninguém do partido teve contato com esta mulher.

    Após as eleições legislativas antecipadas na Áustria em 2017, o Partido Popular Austríaco (OVP), conservador, liderado pelo chanceler Sebastian Kurz, formou um governo de coligação com o FPO, liderado por Strachhe.

    Por sua vez, o canal OE24, citando fontes altamente colocadas do OVP, disse que o chanceler austríaco Sebastian Kurz não pretende continuar a coalizão com o FPO, e anunciará novas eleições parlamentares. De acordo com algumas fontes, a grande maioria dos membros do OVP, incluindo o chanceler Kurz, perderam a confiança no FPO.

    Mais:

    Direita pode assumir o comando da Espanha em eleições parlamentares, diz pesquisa
    Investigação de Mueller não encontra conluio entre Trump e Rússia nas eleições de 2016
    Congressistas dos EUA acusam Assange de interferir nas eleições e trabalhar com a Rússia
    Tags:
    demissão, chanceler, russa, eleições, mídia, Áustria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar