22:08 14 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes muçulmanos xiitas indianos queimam uma efígie do líder do grupo Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, durante um protesto em Nova Délhi.

    Macron comenta derrota do Daesh na Síria: 'Grande perigo para a França está eliminado'

    © AFP 2019 / Prakash SINGH
    Europa
    URL curta
    304
    Nos siga no

    Na sexta-feira, a porta-voz da Casa Branca Sarah Sanders disse a repórteres que o grupo terrorista havia sido completamente eliminado na Síria. No entanto, mais tarde naquele dia, o enviado sírio para a ONU chamou a declaração de vitória de Washington sobre o Daesh de "blefe".

    O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou no sábado que a principal ameaça que a França enfrenta foi eliminada após uma declaração de forças lideradas por curdos apoiadas pelos EUA de que o último território controlado pelo Daesh no leste da Síria foi recapturado.

    "Um grande passo foi dado hoje. Um grande perigo para o nosso país está eliminado", escreveu Macron no Twitter. No entanto, o líder francês observou que "a ameaça permanece e a luta contra os grupos terroristas deve continuar".

    Os comentários de Macron seguem o anúncio da porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, de que todo o território da Síria foi "100% libertado" dos terroristas do Daesh*. Reagindo à declaração, o enviado sírio para a ONU chamou o anúncio da vitória do Pentágono sobre o Daesh como um "blefe".

    Além disso, uma fonte da Sputnik no Ministério de Relações Exteriores da Rússia disse que o anúncio dos EUA sobre a vitória completa sobre o Daesh não foi muito convincente.

    O vilarejo de Baghouz, onde a coalizão liderada pelos EUA vinha realizando repetidamente bombardeios, teria sido o último reduto do Daesh na Síria.


    * Daesh, também conhecido como Estado Islâmico é um grupo terrorista proibido na Rússia

    Tags:
    Pentágono, Casa Branca, Daesh, Ministério de Relações Exteriores da Rússia, Sarah Sanders, Emmanuel Macron, Síria, Estados Unidos, Baghouz, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar