21:28 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki

    Não aceitaremos 'mentiras e insultos racistas', diz premiê da Polônia para Israel

    © Sputnik / Alexey Vitvitsky
    Europa
    URL curta
    13104
    Nos siga no

    Depois que um ministro israelense afirmou que os poloneses abrigam o antissemitismo desde a infância, o primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki respondeu, afirmando que o seu país não aceitará "insultos racistas".

    Em meio a uma disputa política entre Varsóvia e Tel Aviv, Morawiecki disse ao jornal israelense Haaretz que a Polônia, onde milhares arriscaram suas vidas para ajudar os judeus durante a Segunda Guerra Mundial, "não cederá mais à pressão de aceitar mentiras, frases enganosas, e muito menos insultos racistas".

    O premiê polonês aparentemente estava dirigindo o comentário ao ministro de Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, que aumentou a aposta na semana passada dizendo que cada polonês "amamentou o antissemitismo com o leite de sua mãe".

    Morawiecki declarou que a citação polêmica "parecia totalmente inacreditável" e que tais palavras "poderiam ser usadas por extremistas radicais, mas não por um ministro do Exterior". Ele acrescentou que "alguns políticos querem fazer manchetes" antes das eleições em Israel.

    O primeiro-ministro da Polônia pontuou que "dezenas de milhares de poloneses, talvez até mais, estavam ajudando seus irmãos judeus", e que a Polônia era o único país ocupado pelos alemães "no qual uma pessoa ajudando judeus enfrentava a pena de morte nas mãos dos alemães".

    Como parte da troca de farpas da semana passada, Varsóvia se retirou de uma cúpula de países do Leste Europeu em Jerusalém, com o ministro de Relações Exteriores Szymon Szynkowski exigindo que Israel "rejeitasse esta declaração […] e pedisse desculpas". O embaixador de Israel na Polônia foi convocado ao Ministério de Relações Exteriores duas vezes em uma semana.

    A Polônia tem sido bombardeada com acusações de suscitar sentimentos antissemitas desde que aprovou a polêmica lei do Holocausto, no ano passado. A legislação, que proíbe o envolvimento do governo polonês nos crimes históricos do regime nazista, provocou indignação em Israel, com altos funcionários afirmando que os poloneses colaboraram com os alemães em massa.

    Mais:

    Polônia quer reaproximar União Europeia e EUA na questão do Irã
    Polônia anuncia compra de lançador de mísseis dos EUA com 300 km de alcance
    Construção de ilha artificial pela Polônia não tem objetivos pacíficos, diz analista
    Salvini diz que a Itália vai trabalhar com a Polônia para construir uma nova Europa
    Tags:
    holocausto, relações bilaterais, diplomacia, insulto, racismo, Segunda Guerra Mundial, antissemitismo, Haaretz, Szymon Szynkowski, Israel Katz, Mateusz Morawiecki, Israel, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar