23:06 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    261
    Nos siga no

    A reeleição de Pyotr Poroshenko como presidente da Ucrânia vai agravar a divisão na sociedade ucraniana, declarou o secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev.

    "A reeleição de Poroshenko levará a uma maior divisão na sociedade e à desintegração da Ucrânia", afirmou Patrushev em entrevista ao jornal Komsomolskaya Pravda.

    Ele lembrou que durante os quatro anos de presidência de Poroshenko "uma parte significativa da população ucraniana se empobreceu e milhões de cidadãos deixaram o país em busca de uma vida melhor".

    "Além disso, não há progresso em resolver a situação no Donbass", ressaltou.

    Ao mesmo tempo, o secretário do Conselho de Segurança da Rússia declarou que "Pyotr Poroshenko não tem apoio eleitoral suficiente e quase não tem chance de ser legitimamente reeleito", ressaltando que "a única esperança de Poroshenko é o uso generalizado de falsificações".

    As eleições presidenciais na Ucrânia serão realizadas em 31 de março de 2019. Oficialmente, a campanha eleitoral começou em 31 de dezembro passado.

    Até o momento, a comissão eleitoral registrou 44 candidatos.

    De acordo com uma pesquisa recente, o ator Vladimir Zelenski lidera as pesquisas de intenção de voto com 21,9%, seguido pela ex-primeira-ministra e líder do partido Batkivschina (Pátria), Yulia Tymoshenko, com 19,2%.

    Em terceiro lugar está o atual presidente Pyotr Poroshenko, com 14,8% de apoio.

    Mais:

    Rússia rejeitará eleição na Ucrânia caso seus observadores sejam negados
    Especialista: Ucrânia arruinou Exército e Marinha com suas próprias mãos
    Candidata a presidente da Ucrânia propõe usar bombas de grafite nas relações com Rússia
    Tags:
    Rússia, Ucrânia, Pyotr Poroshenko, Nikolai Patrushev, Yulia Tymoshenko, Vladimir Zelenski, Conselho de Segurança da Rússia, Eleições na Ucrânia, política, reeleição, crise ucraniana, conflito ucraniano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar